“Tudo vale a pena
Quando a alma não é pequena…”
– Fernando Pessoa

Quarenta e um anos, são mais de metade da nossa esperança médias de vida! Da vida de cada um de nós! Finita, sem esperança de retorno ou emendas . Dela deveremos fazer como nos aprouver, e do passado ficam apenas recordações, de que surgem variadíssimas sensações que despertam sentimentos de alegria, tristeza, prazer ou frustração! E é dessas recordações que nós fazemos a nossa aprendizagem. Os mais sábios são-no, porque meditam sobre os problemas, estudam as causasse os efeitos, não repetem erros, e procuram soluções novas para os resolver .Foi assim que desde o homem primitivo pudemos aqui chegar !

Os menos atentos, preguiçosos, pouco argutos, néscios, ignorantes e pouco adaptados à evolução, foi os que a Natureza escolheu para ficarem pelo caminho no holocausto que custou a nossa chegada até aqui!

Passou no dia vinte e cinco o quadragésimo primeiro ano da Chamada Revolução dos Cravos, e dei por mim a fazer uma viagem retrospetiva reflexiva e complexada essa data!

Tinha para essa manhã uma cirurgia marcada no Hospital de S. Bernardo. Cirurgia complicada. Fratura sub capital do úmero com uma esquírola metida dentro da articulação! Cheguei ao Hospital bem cedo, e aí deparo com a notícia! A tensão era enorme pois os noticiários não esclareciam cabalmente a situação. A intervenção cirúrgica felizmente correu bem, o que levou esse meu doente, há poucos anos a confidenciar-me: Dr., o ombro está bom! Assim estivesse o País… E até concordo com ele!

Recordo a euforia generalizada, e recordo ainda, de os revolucionários da altura, afirmarem que a independências colónias teria que ser imediata e que depois de dois anos seriamos então um País onde apeteceria viver. Recordo os chamados Retornados e o seu imenso drama humano e social duma descolonização criminosa que condenou compatriotas às maiores provações, feita com enorme violência em nome de interesses inconfessados e inconfessáveis: Mário Soares! Recordo o vinte e oito de Setembro onde me foi apreendida uma arma (??) – espingarda de pressão de ar e de chumbos… que o popular entregou eufórico ao Oficial, que prontamente ma devolveu, depois de verificar do que se tratava, com um olhar que traduzia as desculpas que a boca não podia dar! Otelo e o Campo Pequeno! A Maioria Silenciosa.

Recordo as ocupações das herdades que produziam pois das outras,…nem falar…!! As ocupações selvagens e selváticas de casas, propriedades e fábricas.

Recordo o 28 de Setembro, Spínola, Portugal e o Futuro…a fuga e o exílio, as prisões arbitrárias a fuga de pessoas e capitais, as ocupações de Fabricas e até pequenas oficinas com enxovalho aos proprietários -terríveis fascistas, entenda-se… mas que passado pouco tempo estavam falidas e abandonadas! A Reforma Agrária e o Controle Operário! E a implosão de tudo o que era produtivo.

Recordo o 11 de março. O PREC! A Lista dos “alvos a abater”! As Nacionalizações, a hecatombe da Economia, o Verão Quente de 75, mais mandatos de captura em branco e assinados. Prisões indiscriminadas, sem culpa formada… com mandatos em branco assinados pelo Otelo! Mais fugas de capitais e Pessoas! O Verão Quente Parecia na realidade o Inferno! O cerco à Assembleia da Republica! O Vasco Gonçalves: ” Quem não está com a Revolução, está contra a Revolução”… Álvaro Cunhal e a mudança de “Ditadura do Proletariado”, por …”As mais amplas liberdades para o nosso povo”! Olhe que não Dr., olhe que não…Pinheiro de Azevedo e o ba..a me..a pró fascista…

O 25 de Novembro! Jaime Neves e os chaimites! Eanes! Soares , e a luz ao fundo do túnel… Bancarrota? Chamem o 112! ( entenda-se F.M.I. )… E porque o doentinho não teve emenda e voltou a recair, Chamem de novo os Salvadores da Pátria (entenda-se F.M.I.,claro)e também os bombeiros, que Portugal já está a arder!

Do Banco de Portugal esfumam-se seiscentas toneladas do oiro que o Senhor das Botas nos deixou de Herança! Talvez em viagens à volta do Mundo- muitas! Carros topo de gama e outras coisas do verbo gamar…, e outras espertezas de que não nos dão satisfações, porque …não temos nada com isso, é claro! E ainda ficam comuns trocos para amendoins!…

As FP 25, Otelo! O Terror! Sá Carneiro! O “acidente”! A história do Irão – Contra… Milhões dos Fundos Europeus para comprar Jeepes …para cultivar o asfalto! A fome e o Plano de Emergência em Setúbal! E Cavaco a comer Bolo Rei! A fuga do Guterres e o pantanal…deixando isto de pantanas! Barroso dá de frosques para o adocicado tacho em Bruxelas! O BPP, o BPN, o Salgado! Os submarinos! As PPP, o Parque Escolar e Maria de Lurdes… Obesidade do Estado! As Fundações ! Os Observatórios e … O Buraco da Madeira… Saúde, doente e Educação ausente! Sócrates! Aeroporto. Ota! Margem Sul- “Jamais”… Alcochete! Freeport…Os rumores! O Livro!… O Lula, o Chávez… A Mentira! Arrogância! Compadrios! Autoestradas e o TGV! Os PEC´s!

A bancarrota!? Por um tris…Vem a Troica, com o FMI que já conhece os cantos à casa…Afinal o 44!

Austeridade sufocante… Emigração, o Fisco passa a Polícia Fiscal, com trejeitos de outros tempos perseguindo os cidadãos… O empobrecimento. Saque às Reformas. A fome e miséria de muitos e o enriquecimento súbito e inexplicável dos Duque Condes e Marqueses do regime, com a tranquilidade de quem se sabe ou julga imune e impune! Greves dos mais privilegiados prejudicando de forma obscena os mais desfavorecidos!País de velhos e jovens sem esperança, onde até os casais desaprenderam de como se fazem filhos depois de terem sido incentivarem a não os ter…

“Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor”

Não foi com certeza à tripulação desta nave a que o Poeta se quis referir.

Aqui, quem faz trabalho duro e pesado e cria riqueza é escravizado, desprezado, humilhado e explorado, restando-lhe como quinhão as migalhas que caem do banquete da anafada e arrogante tripulação, seus amigos,correligionários, convidados e sócios, num jogo de interesses e cumplicidades, que até junta inimigos de ontem quando os interesses no espólio assim convém! Impostos vergonhosos a quem trabalha para aguentar os desvarios e saque de outros!

E assim passei metade da minha vida após a manhã de Esperança, em que consertei melhor o meu doente do que o estado em que deixaram o meu País!

Resta a Liberdade! A possibilidade de aqui, nos meus comentários na rádio, no café, na rua, ou em qualquer lugar, dar livre expressão do meu pensamento.

De pouco serve contudo! O Poder, quaisquer que sejam os seu protagonistas vive em circuito fechado protegido pelas leis que elabora, controla, e faz de árbitro que também joga, e com interesses no resultado! Sabe que os árbitros auxiliares não o importunam. A Justiça dum dos lados do campo é cega, como o seu próprio símbolo mostra… Do outro, o que representa os cidadãos está mais interessado nas suas próprias jogadas e interesses do que perturbar o árbitro! Porque também ele quer vir a ser …dono do jogo…

Podemos falar pois, mas, se já não vamos presos, as nossas palavras vão bater em…ouvidos de mercador! Votamos sim, mas de A a Z de pouco ou nada tem adiantado. O interesse dos eleitos é comum e por isso se de gladiam. Tomar conta do pote do mel! Quarenta e um anos a viver a desilusão! Há quarenta e um anos quiseram acertar o relógio da Pátria em relação ao mundo civilizado. Era a promessa! Incompetentes, chulos, corruptos e malfeitores perderam e roubaram as peças do relógio, que só dá sinal cada dia vinte e cinco de cada ano, com espasmos de alegria de alguns pândegos, que celebram a data , como se o tempo tivesse parado, e ninguém fosse responsável pela tragédia a que chegamos!

O que fazer então!?

Ou aguentar e cara alegre
Ou…

Cá por mim, já decidi
Vou seguir o conselho do Poeta Manuel Bandeira!

“Vou-me embora para Passárgada
Lá sou amigo do Rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora para Passárgada
Vou-me embora para Passárgada
Aqui eu não sou feliz”

Não há ordem cronológica. Cada facto surge independente de qualquer ordem cronológica ou importância. Fazem parte de recordações de factos gravados na memória e que surgem aleatória e espontaneamente. Fazem parte de um todo indissociável, compacto como memória integral.

Fotografia de capa por pedrosimoes7

The following two tabs change content below.

Mendes Ferreira

Ortopedista e Médico do Trabalho
Médico Especialista Cirurgia Ortopedia e Traumatológica; Assistente Hospital Universidade de Coimbra; Médico Hospital de Faro e Setúbal; Médico do Trabalho em diversas Organizações e Empresas; Clínica Privada em Lisboa e Setúbal. Actualmente gozando a sua reforma, faz o que lhe dá na gana, já que a sua activa vida não lhe concedia tempo, diversificando actividades e atenção , acabando...por não ter tempo para fazer tudo aquilo que gostaria de fazer...

Últimos textos de Mendes Ferreira (ver todos)