É notório a fixação que o PS nomeadamente o Partido Socialista no distrito de Setúbal tem para com o CDS-PP e para com a área social mais em concreto com o próprio ministro Pedro Mota Soares.


Já diz o velho ditado que “a canalha só atira pedras à árvore que dá frutos”, e é bem verdade, não escondendo o PS em Setúbal, que, como já alguém disse: “boas notícias para o país, são más notícias para o PS”.


Anda o PS em Setúbal constantemente a criticar e a apontar o dedo às políticas que têm sido implementadas pelo Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social esquecendo-se os mesmos de que este ministério não só veio colmatar graves lacunas deixadas pelo anterior governo PS, esquecendo-se também que quando saiu deixou a área social completamente depauperada sem dinheiro para prestações, pensões, subsídios e reformas.


O PS anda muito distraído, mais interessado em marcar agenda política à boleia dos acontecimentos que vão surgindo a conta-gotas, como é o caso da vitória do Syriza na Grécia, onde o seu líder António Costa, de tão confuso que anda, até se esqueceu que os seus camaradas de família política mereceram uma estrondosa rejeição por parte dos Gregos.


Mas não, o mesmo preferiu cavalgar a onda da demagogia e da agenda política sempre acenando e mostrando que está vivo politicamente, a avaliar pela frouxa prestão reflectida nas sondagens, não vá recriar os fantasma internos que ainda fomegam.


O PS apresenta ao país uma mão cheia de nada onde promete o el dourado, a retoma, a mudança, um novo rumo, afirmando que está pronto. Pronto para quê? Olha-se para o Partido Socialista de uma ponta a outra, e vemos os responsáveis pelo afundamento do país, pelo descontrolo das contas públicas, pelo aumento do déficit, pelas muitas inúteis PPP´s, onde muitas das figuras de primeira linha foram os ministros responsáveis pela hipoteca de soberania que o país teve de passar pela terceira vez por responsabilidade do Partido Socialista.


Não obstante, o PS não se inibe de apontar o dedo a um dos ministérios que mais tem feito por aqueles que o mesmo deixou ao abandono sem dinheiro para que o estado lhes pudesse continuar a dar a protecção e a segurança devida.


Já nem é preciso voltar a contabilizar o produtivo trabalho que o Ministro Pedro Mota Soares tem feio no seu ministério, como também o reconhecível trabalho e boas praticas que a Segurança Social tem efectuado no distrito de Setúbal demonstrando cabalmente que merece a confiança daqueles para quem trabalha todos os dias.


Concentremo-nos apenas nas medidas que o ministério de Mota Soares tem para o Compromisso de Cooperação para o Sector Social biénio 2015/2016, medidas essas, que por oportunismo eleitoralista do PS, não devem ser do seu agrado.


As medidas em questão visam o reforço da construção de um novo paradigma de resposta social em parceria tal como visam também estreitar a relação de parceria público-social entre o Estado e o Sector Solidário tendo desta forma, uma vigência plurianual dando a perspectiva a média prazo dos compromissos que as instituições podem assumir auxiliando a sua gestão.


O mesmo tem como finalidade abranger as áreas da Saúde, Segurança Social e Formação Profissional e Educação contando para tal com um reforço de 50M€ da verba da Acção Social no orçamento da Segurança Social, onde serão contratualizados este ano um vasto conjunto de equipamentos sociais construídos e um aumento de comparticipação em 1,1% para acordos já existentes.


Já no que respeita a respostas sociais, este plano contempla a flexibilização comparticipada do horário das creches sendo mesmo salvaguardada uma majoração da comparticipação no valor de 90,00€ por criança/mês em creches que integrem crianças com deficiência.


Mais, dar-se-á também uma nova aposta na qualificação dos Lares de Infância e Juventude tal como na qualificação do Serviço de Apoio Domiciliário e do Centro de Noite, esta última, que será tomada resposta tipificada já este ano. No mesmo conjunto de medidas está ainda contemplada a criação de um novo serviço social – Alojamento Social de Emergência – que dará resposta a quem hoje está em alojamento precário e sem apoio técnico (pensões, residenciais, etc.).


São estas entre outras mais, as medidas que o Ministro Pedro Mota Soares tem em carteira para apoiar ainda mais as famílias e os cidadãos mais necessitados.


O Distrito de Setúbal irá em muito, beneficiar delas.


Só quem tem uma agenda escrupulosa a cumprir de assalto ao poder, pode não reconhecer o trabalho intensivo do Ministério Solidariedade, Emprego e Segurança Social e do seu gabinete.

The following two tabs change content below.
apmaco@setubalnarede.pt'

António Pedro Maco

Deputado Municipal CDS/PP em Almada
apmaco@setubalnarede.pt'

Últimos textos de António Pedro Maco (ver todos)