…é parvo! Uma boa parte de mim é pecado! Durante a minha vida fui ouvindo que, ao morrermos, teremos uma de duas hipóteses: céu ou inferno.


Dou comigo a pensar: o céu dever ser um local branco, com paisagens fantásticas, música clássica, onde há paz e nada acontece! Por outro lado, muitos dos meus amigos deverão estar no inferno, acompanhados das pessoas que insistem em ser chamados de “Dr(a).”, a frequentarem churrascos e festas onde são aceites todos os tipos de ligações.


Não há, então, pecados bons ou maus. Os pecados dão-nos vida. Quem não peca, não é nenhum santinho: é apenas mais parvo do que eu. Quem não é pecador está morto. Apenas se esqueceu de cair. O “engomadinho” dá-me tédio. Acredito que todos teremos um crédito de santidade disponível e o meu já se esgotou há muito.
Fotografia de capa por owlpacino

The following two tabs change content below.

Olavo Nóbrega

Ator e encenador
Ator, mas também encenador. Orienta (de)formações em expressão dramática. Gosta de conhecer pessoas. Não come carne.

Últimos textos de Olavo Nóbrega (ver todos)