Porque é Natal trago-vos o meu presente: “uma folga”, ou seja, escrever sobre coisa nenhuma!

E porque não escrevo? Não é por razão nenhuma em especial… é só porque não me apetece.

Esta crónica é como o Natal… é quando o Homem quiser! E o único homem nesta narração sou eu por isso…

A minha estupidez natural voltará em 2015 onde continuarão a ser guiados(as) pela minha idiotice: uma visita ao passado, ao presente (pronto, Natal, lá está), ao corpo humano, à minha mente. Se houver alguém mais sensível ou com problemas cardíacos, lamento, terá de aguentar estoicamente! Perdão, talvez não saibam o que quer dizer. Quer dizer terá de aguentar e pronto…

Eu apenas anunciei que estava disposto a revelar as minhas lembranças, foram vocês que decidiram fazer uma visita ao que o meu espírito verbaliza…

Portanto, aguentemos e daqui a uma semana poderemos voltar às nossas vidinhas, salvos do consumismo, esperemos!

Bom Natal!

Fotografia de capa por Rui Ornelas

The following two tabs change content below.

Olavo Nóbrega

Ator e encenador
Ator, mas também encenador. Orienta (de)formações em expressão dramática. Gosta de conhecer pessoas. Não come carne.

Últimos textos de Olavo Nóbrega (ver todos)