ColorAdd é um sistema de identificação de cores para daltónicos. Desenvolvido por Miguel Neiva, português, professor e designer gráfico, o projeto ColorAdd procura ajudar a minorar um problema que afeta cerca de 10% da população masculina mundial” – assim encontramos, na Wikipedia, a referência sobre ColorAdd.

Três questões subjacentes se impoêm: 1) o que é o daltonismo?; 2) quem é Miguel Neiva?; 3) quais as vantagens do ColorAdd.

Vamos à primeira: o daltonismo (nome adquirido pela doença em homenagem a John Dalton, o primeiro cientista do sec. XYIII que estudou esta problemática) ou discromatopsia, é uma perturbação da percepção visual caracterizada pela incapacidade de diferenciar todas ou algumas cores, manifestando-se, na maioria dos casos, pela dificuldade em distinguir o verde do vermelho. Problemática genética, ligada ao cromossomo X, como seria de esperar, surge com maior predominância em individuos do sexo masculimo, dado que só têm um cromossoma X, enquanto os individuos do sexo feminino têm dois. A discromatopsia, embora com uma fraca incidência, pode também resultar de uma lesão nos órgãos da visão ou de uma lesão de origem neurológica. Como sabemos as implicações, que começam logo nos primeiros anos de escola, irão permanecer durante toda a vida do sujeito, chegando mesmo a criar inconvenientes na área profissional e social.

A segunda questão: Miguel Neiva, jovem licenciado em Design de Comunicação Visual, lança em 2007 o seu primeiro livro “PORTO – Um ponto de Vista”, editado pelas Edições Afrontamento. Durante oito anos estuda o daltonismo e tenta encontrar uma alternativa para que as pessoas daltónicas possam perceber a cor no mundo, de uma forma equilibrada, apesar de não verem cores. Durante o seu mestrado em Design e Marketing da Universidade do Minho teve a ideia de recorrer à semiótica e à funcionalidade para criar um sistema de leitura de cores com o potencial de mudar a vida aos 350 milhões de homens que sofrem desta doença (10 % de toda população masculina mundial) e surge o projeto Color Add. Desde 2008 que percorre o mundo realizando conferências e palestras para apresentar a sua proposta de identificação de cores, através de um código universal com a utilização de um conjunto de simbolos. A ideia valeu-lhe já algumas menções honrosas: foi reconhecida pela revista brasileira Galileu como uma das 40 melhores ideias para melhorar o mundo, foi galardoada com a medalha de ouro comemorativa do 50º aniversário da Declaração Universal dos Direitos do Homem (2012), foi premiada no World Summit Award Mobile 2014, um prémio atribuído pela ONU para distinguir empresas ou indivíduos da indústria de conteúdos e aplicações, sendo considerada a melhor na categoria Inclusion & Empowerment.

Por último, o que o mundo tem a ganhar com o Color Add.

Diz-nos Miguel Neiva: ColorAdd® é transversal a todos os quadrantes da sociedade global, independentemente da sua localização geográfica, cultura, língua, religião, bem como às diferentes vertentes sócio-económicas. Oferecer aos daltónicos independência aquisitiva, uma mais fácil integração social em situações que a opção e escolha da cor é relevante e a minimização do sentimento de perda gerada pela deficiência, com o consequente aumento de bem-estar e autoconfiança. O projecto apresenta uma solução sustentada, de implementar um código universal, que se julga ser de um contributo inquestionável para a inclusão.” 

E assim é: o projeto já foi implantado numa marca de lápis de cor portuguesa, está em estudo para ser adaptado ao metro da cidade do Porto (onde será o primeiro metro adaptado para daltónicos no mundo) e há até no Brasil, um projeto de lei que prevê incluir o ColorAdd nos sinais de trânsito.

Para conhecer melhor o projeto e entender sua magnitude, veja a apresentação que Miguel Neiva fez no TEDx do Porto, em Portugal: https://www.youtube.com/watch?v=apT4qG6muEY

 

Webgrafia:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Coloradd

http://www.coloradd.net/

https://www.facebook.com/ColorADD-sistema-de-identifica%C3%A7%C3%A3o-de-cores-para-dalt%C3%B3nicos-215330769134/

Fotografia de Steve Corey

The following two tabs change content below.

Margarida Martins

Presidente da Assembleia-geral da Associação Juvenil Odisseia
Fundadora da Associação Juvenil Odisseia em 1998 procurou dar uma resposta alternativa ao associativismo local. Licenciada em Psicologia, Mestrado em Orientação e Desenvolvimento da Carreira e Doutoramento em Excelência Empresarial, trabalha na área da educação há mais de 30 anos. A educação é o seu grande objectivo lutando para a adequação de estratégias perante os desafios do século XXI. No presente, encontra-se a participar no projeto nacional "A New Beginning for Portugal".

Últimos textos de Margarida Martins (ver todos)