É hábito e tradição, nesta quadra desejar um Bom Ano e as maiores felicidades para todos, etc. e tal!

   

Não sei onde começou o hábito, mas provavelmente em Sociedades onde a grande maioria dos seus membros mereciam os desejos de seus Amigos e conhecidos. Tal se foi difundindo, e atingiu sociedades onde tais desejos apenas eram merecidos por diminuto número de cidadãos, tendo os outros cinicamente aceite os votos e desejos como merecidos, não fosse o Diabo tecê-las e a sua careca fosse descoberta!

   

Assim, hoje é práctica a formula padrão “Desejo a todos….”, “Desejo que tenha no Novo Ano…”, etc. e tal…

   

Tenho pensado neste descuido de pessoas  que desejam de igual forma a pessoas sérias e não sérias, larápios e vítimas, salafrários e pessoas dignas, que “Tudo de Bom o Novo Ano lhe traga!”…. Desejá-lo a um bom cidadão equivale a dizer-lhe que o Novo Ano compense os seus esforços de trabalho, dedicação, cumprimento dos seus deveres cívicos! Dizê-lo a um gatuno, ainda que legalmente não seja ainda condenado como tal, equivale a dizer-lhe “Que o Novo Ano lhe dê muitas mais oportunidades de esbulho, saque e vigarice, sem que a justiça tome conta de si!”

   
E é também hábito fazer o balanço do passado e previsões e desejos para o Futuro.

   

Para mim o passado, é apenas isso, mas que serve para lições  no futuro, sem as quais anda seríamos Homens de Neendertal! Mas chorar sobre leite derramado, lá isso não choro!

   

Mas daí a prever o futuro…

   

Reconheço que para a grande maioria de todos nós foi um ano difícil, com muitos esforços e sacrifícios, nem sempre bem aceite por todos já que, a todos por igual, não coube a parcela equitativa de esforço. Continuaram os Fariseus, os Sobas, os Predestinados e os Iluminados, a usufruir de estatuto VIP, agindo como verdadeiro gang de interesses, acima de qualquer escrutínio, que não seja apenas o estatuto secreto aprovado em A.G.C.V. (Assembleia Geral de Criminosos e Vigaristas).

   
Assistiu-se contudo a factores positivos na actuação da Justiça. Pela primeira vez se prendem e condenam pessoas, sem olhar ao tipo de fato, gravata, camisa e perfume que usam, e carro que ostentam!

   

Tal, tem porém ultimamente originado um certo mal estar em certas elites , com declarações públicas de repúdio, de muitos que, percebe-se, temem que a sua vez esteja a chegar! E daí, quem sabe…?! Lá terão as suas razões, pois não estão habituados a que a justiça seja igual para todos, o que parece um pouco estranho pois sempre os ouvimos dizer o contrário. É gente que sempre falou em nome de princípios que não tem,e em direitos , mas que só a si devem caber…

   

Da tragédia que sobre nós se abateu com o pedido de resgate urgente, com todas a suas tétricas consequências parece virem ténues sinais de esperança. No desemprego, no poder de compra, nos índices da natalidade e nos juros externos que nos são cobrados. Tal perfilha na realidade a noção de que é possível reverter o esforço da maioria de todos nós, em possibilidade real de recuperação! Tais factos, porém têm sido muito mal vistos por certos sectores. Compreende-se bem,  que a quem causou este terrível tsunami que sobre nós se abateu, não seja isto visto com bons olhos, até porque aspira de novo chegar ao poder! Outros sectores, os da política de terra queimada, do quanto pior melhor, também não, pois aspiram a poder influenciar o poder através  de actuações e manobras esconsas, à semelhança e com saudade do que destruíram no PREC! Nem o desaire que sofreram, com 25 de Novembro, lhes permitiu perceber que o caminho que apontam tem sido a tragédia a fome e  pobreza em todos os sítios onde estiveram ou ainda estão! De Cuba à Venezuela, depois de dar a volta ao Mundo.

   

Não quero esquecer como lição para o futuro o chamado “Caso Espírito Santo”. Penso que poderá ser um facto dos mais importantes a reter se percebermos que não é de todo este tipo de Capitalismo selvagem e selvático que o Mundo  necessita, e que todos o devemos repudiar, e responsabilizar os seus agentes.

   

Ah! Pois, os meus desejos:

   

Que os sinais de esperança sejam reais concretos e se vão progressivamente ampliando.

   

Que cada cidadão contribua responsavelmente para isso, criticando com responsabilidade e exigindo que cada um responda pelos seu actos, exigindo compromissos e o seu cumprimento, bem como das promessas enganosamente embrulhadas em papel da cor do oiro…

   

Que Justiça se execute sem pressões e em igualdade  perante todos os cidadãos.

   

Que acabem as pressões e palhaçadas à porta de estabelecimentos prisionais, apenas porque um dos do clã se encontra detido. Tal forma de pressão é própria de povos de Terceiro Mundo, e quem a faz desrespeita a Justiça, e a maioria dos cidadãos deste País, nos quais me incluo, e que não admitem palhaçadas de gente que tem mais que obrigação de respeitar as Leis e a Justiça!

   

Que a Justiça se respeite para ser respeitada! Que jamais se destrua material para proteger quem quer que seja, e que jamais processos sejam recortados à tesourada para se esconder, elidir e proteger!!!

   

Desejo que as greves, sendo uma arma legítima da defesa dos trabalhadores, ou melhor, de quem trabalha, não seja usada como arma de arremesso político de certos partidos contra outras pessoas que também trabalham e injustamente pagam as consequências

   

Que os Sindicatos compreendam que a sua missão é a defesa dos interesses de quem trabalha e quer trabalhar!

   

Desejo que os Hospitais voltem a ser para os Doentes, Médicos e Enfermeiros, e não para os “Utentes” e para “Profissionais de Saúde”! E que se entenda que os Hospitais apenas existem porque há doentes!

   

Que na Saúde não há custos mas sim investimento, que deve, isso sim criteriosamente aproveitado e não desperdiçado!

   

Que os Professores compreendam que os Alunos merecem os melhores Professores, e que para tal só os mais qualificados o merecem ser!

   

Que A Segurança Social se recorde que nasceu, apropriando-se de Fundos de Caixas de Previdência sectoriais pertencente aos que para elas descontaram.

   

Que se reformule, não concedendo reformas milionárias a quem para isso não cumpre as mesmas formalidades de quem recebe reformas de miséria!

   

Que o Estado seja Pessoa de Bem, e trate os cidadãos como a sua razão de existir, e que não troque o que foi uma polícia política por uma polícia fiscal, discricionária, torcionária usurária e impúdica de meios para atingir os fins!

   

Que se tenha bem presente, que o Estado somos todos nós, e se nós não procedermos com correcção jamais poderemos esperar e exigir correcção e isenção.

   

Que os Políticos tenham comportamento idêntico aos dos povos civilizados, que estão ao serviço dos seus eleitores e não de interesses inconfessados e inconfessáveis!

   

Que cada cidadão tenha a consciência de que o seu trabalho já não compete apenas e só com o realizado pelo vizinho do lado, neste rectangulozinho! Quando o executa está a competir com todos os cidadãos do Mundo que executam trabalho igual! Esta lei é inexorável da globalização e acresce-lhe  responsabilidade Ou faz tão bem ou melhor, ou ninguém lhe compra o que produz…

   

Que os Governos, quaisquer que sejam, compreendam que só a Verdade é revolucionária …

   

E só com uma revolução conseguiremos sobreviver. Pacífica e tranquilamente. De processos mentalidades, de audácia, de objectivos, de novas ideias e de acções!

   

E as minhas previsões? Ah! Como não sou bruxo não me arrisco a fazê-las! Apenas alerto que os sintomas parecem apontar para um fim de ciclo e de regime! Há no ar o mesmo cheiro que senti nos Livros da História do Homem e das Civilizações! E todos os que fizeram o mesmo percurso também sentirão o mesmo odor!

   

E acredito que se não revolucionarmos com inteligência, serenidade, exigência e pacificamente, outras provações nos aguardarão. Os sinais estão por todo o lado!  É só querer, e saber ler!

   

Os meus votos para todos, sim, neste caso é para todos, são os mesmos que para mim:

   

Que o Novo Ano  traga tudo na medida do merecimento de cada UM!

   
Acho justo.

The following two tabs change content below.

Mendes Ferreira

Ortopedista e Médico do Trabalho
Médico Especialista Cirurgia Ortopedia e Traumatológica; Assistente Hospital Universidade de Coimbra; Médico Hospital de Faro e Setúbal; Médico do Trabalho em diversas Organizações e Empresas; Clínica Privada em Lisboa e Setúbal. Actualmente gozando a sua reforma, faz o que lhe dá na gana, já que a sua activa vida não lhe concedia tempo, diversificando actividades e atenção , acabando...por não ter tempo para fazer tudo aquilo que gostaria de fazer...

Últimos textos de Mendes Ferreira (ver todos)