Dezasseis embarcações produzidas com recurso a materiais reciclados participaram na Regata da Baía do Sado em Banheiras e Insólitos na manhã de sábado, no Parque Urbano de Albarquel, em Setúbal

 

A iniciativa, que já vai na quinta edição, organizada pela Câmara Municipal e pela Academia Rugby Clube de Setúbal, este ano no âmbito de Setúbal Cidade Europeia do Desporto 2016, teve início às 08h00 com a construção das embarcações, com recurso a materiais flutuantes reutilizados por cada equipa de três elementos.

 

“Acima de tudo, este é um evento importante pela parte ecológica. Todas as embarcações são construídas no próprio dia, com recurso a vários materiais”, explica João Terlim, da organização da prova.

Pouco minutos depois das 11h30, as águas do rio Sado encheram-se de pequenas embarcações construídas maioritariamente à base de materiais plásticos, banheiras antigas e cordas.

“É um apelo à consciência e à preservação do rio. Estamos a passar bem essa mensagem, porque temos cada vez mais jovens a participar e também as mesmas equipas, de ano para ano”, salienta João Terlim.

O prémio para embarcação mais ecológica foi entregue à equipa da embarcação Arca de Noé, do Clube de Rugby de Setúbal. Já a Flinstones, liderada por Marco Martins, com apenas 16 anos, arrecadou o prémio de embarcação mais insólita.

A Rocket, liderada por Ioann Parrasco, foi considerada a mais rápida. Esta equipa venceu também o prémio destinado ao grupo que limpasse mais rapidamente o local de construção das embarcações.

“Foram os mais novos que saíram vencedores. Estamos passar bem a mensagem da preservação ecológica do nosso rio”, referiu João Terlim.

A Câmara Municipal de Setúbal também participou com uma embarcação, construída com recurso a uma banheira, bidões de plástico, madeira e cordas, comandada pelo vereador do pelouro do Desporto, Pedro Pina. A embarcação foi batizada com o nome Cidade Europeia do Desporto.