A Câmara Municipal de Setúbal homenageou os pescadores desaparecidos no mar com a deposição de uma coroa de flores, ontem de manhã, no cemitério de Nossa Senhora da Piedade

A cerimónia, realizada junto do Memorial ao Pescador Setubalense Desaparecido, no âmbito da celebração do Dia Nacional do Pescador, cumpriu um minuto de silêncio em memória dos marítimos que desapareceram no mar.

“A autarquia tem uma dívida muito grande para com a gente da pesca”, referiu a vereadora das Atividades Económicas da Câmara Municipal de Setúbal, Carla Guerreiro, relembrando que a atividade piscatória é um elemento da identidade setubalense.

A autarca aludiu ao facto de a pesca ser “o grande motor de desenvolvimento da cidade, quer no turismo, quer na economia, quer na restauração”.

O presidente da Junta de Freguesia de São Sebastião, Nuno Costa, igualmente presente na cerimónia, tal como representantes da Associação Família do Mar de São Sebastião, instituição que organizou a evocação em parceria com a Câmara Municipal, sublinhou que “este é um monumento que permite fazer um luto às pessoas que partiram mais cedo do que é devido”.

As cerca de três dezenas de pessoas presentes na cerimónia juntaram-se, no final, para cantar o “Homem do Mar”, hino do Apostolado do Mar.

As comemorações do Dia Nacional do Pescador, que contaram ainda com uma missa celebrada domingo, na Igreja de São Sebastião, integram a Semana do Mar e do Pescador, a decorrer entre 21 de maio e 5 de junho, com atividades diversificadas, que, além de homenagens aos marítimos, incluem workshops, ações de sensibilização, exposições, uma corrida de botes a remos e o 39.º Encontro Nacional de Marinheiros e Ex-Marinheiros da Armada.