«O futebol saiu-me caro»

O sadino Quinito, antigo treinador do Vitória, foi homenageado pela Associação Nacional de Treinadores de Futebol no último dia do Fórum de treinadores que decorreu em Setúbal. Num momento de grande emoção, em que assumiu estar a tentar ultrapassar o “divórcio com o futebol”, após a morte do filho, em 2009, emocionou os seus pares. “Tenho um sentimento de culpa, vivíamos o futebol 24 horas por dia, não víamos crescer os filhos. Não ouvi o meu filho dizer pai pela primeira vez, não vi o meu filho aprender a andar de bicicleta, não o abraçava todos os dias, passavam-se meses que não o abraçava e ele agora não está cá. A culpa é do futebol, há um certo divórcio”, afirmou.

Quinito, que nasceu em Setúbal há 67 anos, explicou que está a tentar “chutar a bola para a frente”, apesar de ainda sentir que está a perder. “Não esperava uma homenagem destas, vai dar-me força para tentar tirar a culpa um pouco de mim, tive um menino maravilhoso, que na realidade não o conheci. O futebol saiu-me caro. Estou a tentar sair desta situação, limpar o sentimento de culpa e chutar a bola para a frente. Neste momento estou a perder por 50-0. De nada valeram as vitórias, empates e derrotas que vivi, mas estou a tentar ir a prolongamento ou penáltis”, concluiu.

Joaquim Lucas Duro de Jesus, conhecido no mundo do futebol como Quinito, foi uma das individualidades homenageadas pela Associação Nacional de Treinadores de Futebol, que distinguiu também José Augusto e os setubalenses Mário Narciso, treinador da seleção portuguesa de futebol de praia, e José Mourinho.

A homenagem feita juntou em palco alguns amigos de longa data, como Jaime Pacheco, Henrique Calisto, Neca, Silvino, Domingos Paciência e o presidente da Associação Nacional de Treinadores de Futebol, José Pereira. Todos, sem exceção, o aplaudiram de pé.

O Fórum de Treinadores de Futebol/Futsal, com palestras e workshops práticos, constituiu um ponto de encontro para o debate e a partilha de algumas das mais atuais temáticas na área do treino desportivo, no qual marcou presença um conjunto alargado de individualidades do panorama futebolístico.

Fernando Santos, selecionador nacional, José Peseiro, técnico do Futebol Clube do Porto, Lito Vidigal, do Futebol Clube Arouca, e Pedro Martins, do Rio Ave Futebol Clube, foram alguns dos participantes, a par de Paulo Bento, António Oliveira, Nuno Espírito Santo, Domingos Paciência, José Couceiro, Jaime Pacheco e Rui Quinta.