O teatro é a principal novidade da 2.ª edição do Sabores do Bairro, iniciativa organizada pelos moradores da zona da Bela Vista, em Setúbal, com gastronomia e ritmos musicais das diferentes culturas presentes naquela zona da cidade

 

O evento, a realizar nos dias 14 e 15, dinamizado no âmbito do programa municipal Nosso Bairro, Nossa Cidade, resulta do trabalho em parceria dos moradores e jovens do Forte da Bela Vista, bairro onde o festival decorre e que, nesta edição, inclui teatro.

“A entrada do teatro acontece pela vontade de esta arte chegar aos bairros sociais e não apenas ao centro da cidade”, sublinhou um dos representantes da organização, Francisco Sousa, ontem à tarde, na Casa da Baía, na conferência de imprensa de apresentação do evento, organizado com os apoios da Câmara Municipal de Setúbal e da Junta de Freguesia de São Sebastião.

A festa, que dispõe ainda dos apoios da Associação Cabo-Verdiana de Setúbal, do Agrupamento de Escolas Ordem de Sant’Iago, do Núcleo Recreativo e Desportivo Ídolos da Praça, da B.A. Moviment e da Casa Ermelinda Freitas, inclui apresentações cénicas do Teatro do Elefante, no dia 14, e do Grupo de Animação e Teatro Espelho Mágico, a 15.

Os ritmos africanos e ciganos, o hip hop e o rap e bailes com fado e dança são outros dos atrativos que preenchem o cartaz do certame, aberto a toda a população e de entrada gratuita.

Além de artistas e grupos dos bairros da zona da Bela Vista, o Sabores do Bairro conta com o contributo de SoulPlay, grupo proveniente de Lisboa.

O presidente da Junta de Freguesia de São Sebastião, Nuno Costa, salientou que a iniciativa resulta de uma “organização conjunta das pessoas, com a capacidade de intervir no próprio bairro”.

O autarca acrescentou que “esta é uma festa ambiciosa, saída de um programa [Nosso Bairro, Nossa Cidade] que aposta no lema de uma sociedade mais solidária e justa”, caso “haja empenho de todos”.

Também Francisco Sousa reforçou a ideia dos princípios do Nosso Bairro, Nossa Cidade, que faz dos moradores os principais atores nas ações e decisões que dizem respeito à comunidade, promovendo a autonomia, a responsabilidade e o crescimento coletivo. “O objetivo da festa é mostrar o que se faz de melhor no bairro. Toda a gente trabalha e há uma grande união.”

Francisco Sousa acrescentou que o caminho a percorrer no Nosso Bairro, Nossa Cidade é faseado. “Primeiro estranha-se, depois entranha-se. Atualmente, estão a cimentar-se as bases para uma coisa ainda maior.”

No dia 14, o Sabores do Bairro conta com as participações do grupo de percussão Olodum do Agrupamento de Escolas Ordem de Sant’Iago, na abertura do evento, do Grupo Coral Alentejano Amigos dos Sadinos, dos poetas João Faleiro Paixão e Luís Filipe Estrela, bem como de Os Ciganitos, Tequila, Yúri Fonseca, Flow Boys, Quim Gouveia Urban Trio, Lena Silva, Jorge Nice, Maria Madalena e Grupo Cantares do Sado. No final há baile com Diogo Santos.

A 15, que, tal como o dia anterior, inclui música com o Grupo Coral Alentejano Amigos do Independente, Grupo de Canto de São Sebastião, Grupo de Danças do YMCA, SoulPlay, Dhakilla Mastah, Sérgio Lota e António Serrano. Júlio Duarte dinamiza um baile no final do cartaz de atuações.

O programa para ambos os dias, sempre com início às 18h00, além de vários concertos, teatro, atuações de dança e momentos de poesia, inclui atividades desportivas e muita gastronomia dedicada a sabores africanos e portugueses.