A Câmara Municipal de Santiago do Cacém e a empresa Construções J.R.R. & Filhos, S.A. assinaram o contrato para a empreitada da obra que vai requalificar o acesso rodoviário entre a Aldeia e Vila Nova de Santo André (Caminho Municipal 517/1087). A cerimónia decorreu no dia 18 de abril, na Sala de Sessões da Sede do Município.

O documento determina as condições para uma obra cujo valor total ronda um milhão de euros e que deverá ter início já no próximo mês de maio. “Esta obra é absolutamente fundamental”, sublinha Álvaro Beijinha, Presidente da CMSC. “Passam ali mais de quatro mil veículos diariamente, sendo que 200 são pesados. Quisemos também aproveitar a empreitada para criar uma via pedonal, com segurança para os peões. Queremos que o prazo da obra – que é de um ano – seja encurtado. Já desafiámos a empresa nesse sentido”, confidencia Álvaro Beijinha, que recebeu de José Carlos Rodrigues, Presidente do Conselho de Administração da empresa, a certeza de que “tudo será feito para que seja possível encurtar esse prazo”. Contudo, o Presidente da CMSC sabe que não será fácil atingir esse objetivo. “Há várias condicionantes, principalmente as questões climatéricas. Está também incluído o arranjo urbanístico do largo da igreja, na Aldeia de Santo André e estão também previstas pavimentações dentro da Aldeia, nomeadamente o largo da Junta de Freguesia e por trás desse edifício, no acesso ao cemitério, bem como na rua da acesso à casa de convívio da Associação de Moradores da Aldeia, e ainda no Bairro Horizonte, por onde vai ser desviado, em parte, o tráfego durante a obra. Por outro lado, todo esse caminho em terra batida vai ter condições renovadas”. Do ponto de vista financeiro, “esta é a obra de todo o mandato que obriga a um maior esforço financeiro da parte da Câmara. Para já, não há garantias de financiamento comunitário. Recorremos a financiamento bancário e mesmo, assim, vamos terminar o ano com uma dívida que não será superior a 2015”.

Igualmente presente na cerimónia, Jaime Cáceres, Presidente da Junta de Freguesia de Santo André, congratulou-se com “a opção que a Câmara tomou. É uma aspiração antiga da população. Há muitos anos que lutamos, em Santo André, pela requalificação desta estrada. Sabemos que não serão tempos fáceis para todos aqueles que aí circulam todos os dias. Todos ajudaremos naquilo que for possível. A estrada vai ficar como nova. Santo André vai agradecer à Câmara todo este contributo. Depois, temos a intervenção no largo poente da Igreja da Aldeia, que é outra aspiração antiquíssima da população, que tem também um trânsito extraordinário. Algumas ruas que nem estavam previstas também vão ser alcatroadas. Estou orgulhoso e estarei mais ainda no final da obra, que é muito necessária à população da freguesia de Santo André e não só”.