O Vice-Campeão do Mundo de Moto3, Miguel Oliveira, esteve no Município de Santiago do Cacém entre os dias 11 e 15 de maio, numa iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Santiago do Cacém e organizada pelo Miguel Oliveira − Fan Club. O destaque do evento incidiu na prova de duas horas de resistência que o campeão português e outros pilotos disputaram na tarde do dia 15, com casa cheia no Kartódromo Internacional de Santo André (SAKI).



“Santo André tornou-se especial pelo facto de eu ter dado os primeiros passos mais a sério no SAKI. Já em 2004, no ano de inauguração, e mesmo antes de ser inaugurado, tinha visitado algumas vezes o kartódromo. Vim aqui muitas vezes quando o Campeonato Nacional visitava os kartódromos. Sempre foi um kartódromo especial para mim. É o kartódromo onde se pode andar de mota mais próximo de minha casa, portanto tornou-se especial por eu ter feito aqui muitos quilómetros, conhecer a terra e a sua envolvente. Este evento tem um cariz ainda mais especial por esse motivo”, sublinhou Miguel Oliveira, na conferência de imprensa que antecedeu a prova.

O motociclista português explicou o surgimento do evento “pela vontade de nós querermos trazer o motociclismo às pessoas e querermos dar um bom espetáculo. Entendemos que o local perfeito para realizá-lo seria Santo André. E assim foi. Conseguimos, em conjunto com a Câmara, e também com o kartódromo, fazer um evento com algum profissionalismo, com muita segurança, numa prova também com o cunho da Federação”. O SAKI encheu-se de fãs, entusiastas e curiosos. Miguel Oliveira e os seus colegas de pista empenharam-se em “demonstrar que o motociclismo é um bom espetáculo e que conseguimos trazê-lo muito próximo das pessoas”. Com efeito, destaca o jovem Vice-Campeão do Mundo, a iniciativa nasceu também “da minha vontade de querer estar mais próximo de todas as pessoas, por não termos um Grande Prémio em Portugal e pelo facto de a prova mais próxima ser em Jerez. Queríamos trazer qualquer coisa a Portugal e poder brindar os fãs e as pessoas que acompanham mais de perto este espetáculo”.

O piloto destacou ainda a prova como “um bom complemente de treino, muitos pilotos já usam estas motas para isso. É uma mota mais pesada e dá para, num circuito bastante ‘revirado’, ganhar algum físico e alguma técnica”. A prova foi ganha pela dupla espanhola António Garcia / Luis Javier Kapi, tendo a equipa de Miguel Oliveira, Luís Pardal e Jorge Duarte obtido o 2.º lugar do pódio. A 3.ª posição foi para a tripla Javier Garcia / Rui Regoto / Tomás Alonso. Participaram 11 equipas na prova.

O Presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha, mostrou-   -se “muito satisfeito” pela presença de Miguel Oliveira e pela iniciativa no seu todo. “Temos este equipamento e há muito poucos municípios no país que têm um kartódromo com estas características. Temos, obviamente, de potenciar aquilo que temos. A cidade de Santo André e o Município em geral têm muita gente adepta das motas e do motociclismo. É com grande satisfação e orgulho que Portugal hoje tem um Vice-Campeão do Mundo. Esperemos que seja uma tónica para que, no futuro, Portugal possa ter uma etapa do Campeonato do Mundo. Isso é que seria perfeito, aproveitando o facto de o Miguel correr no Circuito Mundial”.



Álvaro Beijinha evidenciou a vontade que existe em “associar cada vez mais a cidade de Santo André ao desporto motorizado, em particular às motas. Tem havido aqui etapas do Campeonato Nacional de Superenduro e este ano vai haver novamente em setembro. Ainda que não tenhamos recursos para tudo, no quadro das dificuldades que vivemos, faremos tudo aquilo que for possível para potenciar e associar Santo André ao desporto motorizado”.

O Presidente da CMSC destacou ainda o impacto económico da iniciativa. “Os hotéis estão cheios e a restauração também. Vieram pessoas do Porto, propositadamente, para este evento e para ver o Miguel Oliveira. Nós hoje sabemos que temos aqui alguém que tem uma projeção não só nacional, mas mundial. O Miguel também se disponibilizou para visitar as escolas do município e isso foi importante, pois ele é também um exemplo como jovem e como homem, além de desportista, tendo um percurso escolar muito interessante. Esta iniciativa não se resumiu apenas à prova. Isto projeta também o Município e é para isso, também, que nós trabalhamos”.