A jornalista Helena de Sousa Freitas foi distinguida com o Prémio Teresa Rosmaninho Soroptimista Jovem Líder 2016, instituído pela Soroptimist Internacional – União de Portugal (SIUP) e cuja entrega teve lugar no Hotel do Sado, em Setúbal, no passado sábado.

A entrega do prémio, este ano na sua terceira edição, ocorreu no âmbito do 20.º aniversário da SIUP, uma ONG mundial de mulheres que desenvolve projectos em benefício de mulheres e meninas e se dedica à promoção dos direitos humanos e do estatuto do género feminino.

O prémio visa “distinguir mulheres que se tenham destacado na vida cívica e comunitária”, cabendo ao júri, formado por elementos da direcção da União de Portugal e dos nove clubes existentes no país, analisar o currículo e o percurso das candidatas.

A candidatura de Helena Freitas foi proposta pelo Clube Soroptimista de Setúbal, com base no trabalho desenvolvido pela jornalista enquanto voluntária em diversos projectos de natureza ambiental e social nos últimos 25 anos.

Segundo Helena Monteiro, actual presidente da SIUP, “com este prémio, a União Soroptimista de Portugal pretende não só realçar as qualidades humanas, intelectuais e sociais de Helena de Sousa Freitas como a sua capacidade de liderança e de servir como exemplo a muitas outras mulheres e raparigas”.

Teresa Rosmaninho foi uma mulher notável, que esteve sempre na vanguarda do seu tempo, e o facto de homenagearmos uma jovem mulher líder com este prémio é um tributo que a União faz às duas”, acrescentou Helena Monteiro.

Após a entrega do prémio teve lugar uma visita guiada à oficina do Grupo de Acção pela Recolha, Reabilitação e Reutilização de Bens Aproveitáveis – Gerações Ecologistas (GARRRBAGE), projecto que Helena Freitas idealizou em 2013 e que arrancou no final de 2014, ao abrigo do programa Nosso Bairro, Nossa Cidade, da Câmara Municipal de Setúbal.

Helena de Sousa Freitas iniciou a acção cívica e de voluntariado no início dos anos 90, na Escola Secundária do Viso (actual ES 2,3 Lima de Freitas), em Setúbal, na sequência da fundação do Clube do Ambiente, Saúde e Biologia naquele estabelecimento de ensino.

Posteriormente tornou-se voluntária na delegação local da Quercus, integrou a Caprosado – Comissão Ambiental Proteger o Sado, o Clube Jovem “CultuNatura”, bem como o programa “Jovens Voluntários para a Solidariedade”. Interessou-se também pela luta contra a incineração de resíduos perigosos, integrando a Coordenadora Nacional Contra os Tóxicos, e foi co-fundadora do GISA – Grupo de Intervenção e Sensibilização Ambiental.

Teresa Rosmaninho (1955-2011) foi uma acérrima defensora dos Direitos Humanos, em especial dos Direitos das Mulheres. Presidente fundadora do Clube Soroptimist International Porto Invictae e segunda Presidente da Soroptimist International União de Portugal, criou e desenvolveu o Porto d’Abrigo, uma das primeiras casas para mulheres vítimas de violência doméstica em Portugal.

Foi igualmente responsável  pela concepção e direcção do Projecto INOVAR, do Ministério da Administração Interna, que teve por objectivo principal a promoção da qualidade do atendimento das polícias aos cidadãos em geral e às vítimas de crime em particular, desenvolvendo serviços especializados para grupos com necessidades específicas, caso de mulheres e crianças vítimas de violência doméstica, turistas, idosos e cidadãos com dificuldades acrescidas.