Na próxima edição das Festas Populares de São Pedro, no Montijo, os visitantes podem esperar que “haja qualquer coisa que os vá surpreender” e que o evento “continue a crescer em todos os planos”, adianta o presidente da comissão de festas. José Manuel Santos diz que as “surpresas só vão ser reveladas perto das festas em 2016”, mas avança que pretendem “melhorar tudo”, uma vez que o que caracteriza a comissão de festas é “estar sempre insatisfeita”, querendo “sempre mais e melhor”.

procissão noite2 (2).jpg_Festa de São Pedro_Montijo

O responsável pela organização das Festas Populares de São Pedro garante que o próximo desafio que têm é “começar já a construir o programa das festas para 2016”, contando com o apoio das “pessoas do Montijo”, que fizeram com que o certame deste ano “tivesse um brilho de outrora”. José Manuel Santos aponta como ponto alto do evento o “concerto de música e o fogo de artifício”, que se realizaram no último dia e a “procissão noturna de São Pedro”, onde participaram “24 andores”, sendo esta “de Coimbra ao Algarve a maior procissão do país”.

O membro da comissão organizadora reconhece que o que as pessoas mais procuraram nas festas foram os “espaços de diversão e de convívio”, o que dinamizou a “economia local”, estando os comerciantes “muito satisfeitos”, pois sublinham que “há muitos anos que o comércio não sofria um impacto tão positivo”. José Manuel Santos lembra que as “dificuldades” num evento como este “aparecem sempre”, mas “conseguiram resolver todas as questões, sem que isso fosse percetível para fora da comissão de festas”.

O dirigente da comissão faz um “balanço muito positivo” do certame, assegurando que esta é também a “opinião das pessoas em geral”, que estiveram nas festas, começando a mesma a ser “uma atração turística no panorama nacional”, tendo participado nos seis dias “mais de 300 mil pessoas”.

As Festas Populares de São Pedro realizaram-se de 25 a 30 de junho nas principais artérias do centro da cidade do Montijo. Este evento foi organizado pela comissão de festas, sendo financiado pela autarquia, pela União da Junta de Freguesias de Montijo e Afonsoeiro e pelas empresas do concelho.