Duas dezenas de pessoas aproveitaram, ontem, na Casa da Baía, a oportunidade de ver confecionar ao vivo e de provar uma caldeirada tradicional setubalense, numa sessão de live cooking que marcou o encerramento do Festival da Caldeirada de Setúbal.

O certame, promovido pela Câmara Municipal no âmbito da marca Setúbal Terra de Peixe, contou com o envolvimento de 54 restaurantes locais que entre 26 de março e 10 de abril serviram caldeiradas setubalenses mediante os estilos de cada chef.

Na sessão de cozinha ao vivo, conduzida por António Almeida, do restaurante Taberna Grande, os participantes puderam ver como o chef confeciona uma caldeirada de cariz mais tradicional, feita no tacho por camadas e apenas com peixe branco, no caso, tamboril, safio e tremelga.

Os participantes, entre os quais se encontravam muitos visitantes oriundos de outros concelhos e, inclusivamente, do estrangeiro, aprenderam segredos associados à receita e provaram o prato. A experiência teve direito a repetição e também a sopa de massa cozida no molho da caldeirada, pitéu que nem sempre acompanha o prato quando este é pedido nos restaurantes.

O Festival da Caldeirada de Setúbal 2016, que voltou a promover o prato típico da região e o melhor peixe apanhado na costa sadina, contou com os apoios das empresas Lallemand e Makro.