O Congresso Internacional Bocage e as Luzes do Século XVIII, a realizar nos dias 12, 13 e 14, no Fórum Municipal Luísa Todi, em Setúbal, foi admitido para o plano de formação de professores

A participação no congresso, que tem um custo de cinco euros por professor, permite a frequência de um curso de dezoito horas que corresponde a créditos de 0,7 no plano de formação.

O curso, que tem como formadores Álvaro Arranja, Ana Margarida Chora e Daniel Pires, destina-se a profissionais dos grupos 110 do 1.º ciclo do ensino básico, 210 de Português e Francês; 220 de Português e Inglês, 240 de Educação Visual e Tecnológica, 300 de Português, 310 de Latim e Grego, 400 de História, 410 de Filosofia e Psicologia e 600 de Artes Visuais.

Os interessados em participar devem efetuar a inscrição online, através da ligaçãohttps://goo.gl/forms/woEJ5E2xIhPtmOux1.

Individualidades do panorama académico, literário e cultural do país e do estrangeiro marcam presença no Congresso Internacional Bocage e as Luzes do Século XVIII, organizado pela Câmara Municipal de Setúbal, pelo Centro de Estudos Bocagianos e pela Liga dos Amigos de Setúbal e Azeitão, no âmbito das Comemorações dos 250 Anos do Nascimento de Bocage, a decorrer desde setembro de 2015.

“Bocage e o seu tempo, as artes e a sociedade”, “A poesia de Bocage e estilos poéticos”, “Bocage tradutor/traduzido”, “Bocage e mundo da língua portuguesa” e “O legado de Bocage” são as cinco grandes áreas temáticas nas quais se organizam as quase quatro dezenas de intervenções agendadas para os três dias.

O congresso conta com as participações de alguns dos principais intelectuais e especialistas na vida e obra de Bocage da atualidade, entre os quais se encontram Daniel Pires, Viriato Soromenho Marques, Cândido Oliveira Martins, Miguel Real, Ernesto Rodrigues, Carlos Fiolhais e Mário Vieira de Carvalho.

O programa completo do Congresso Internacional Bocage e as Luzes do Século XVIII pode ser consultado em www.mun-setubal.pt.