O Município de Santiago do Cacém realiza, de 9 a 11 de setembro, a segunda edição do “Festival do Tomate de Alvalade | Mimosa − Mostra gastronómica nos restaurantes”, que conta com o apoio da Junta de Freguesia de Alvalade, da Alensado e da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo. O objetivo principal é impulsionar a economia local através de um produto de reconhecida qualidade como património gastronómico local: o tomate, mas também promover a gastronomia. Este ano, todos os restaurantes da freguesia aderiram à iniciativa, o que significa um acréscimo de três restaurantes em relação à edição anterior.

Álvaro Beijinha, Presidente da CMSC, destaca a vontade de “promover um produto que está muito enraizado na cultura da freguesia de Alvalade”. O passado não muito distante já revelava uma grande preponderância do produto. “Em Alvalade, houve a segunda maior fábrica de concentrado de tomate a nível europeu, que infelizmente fechou há cerca de 25 anos, mas a produção agrícola continua muito forte. Há muita gente ligada à produção de tomate.” A prova de que a tradição não se perdeu está no facto de, nos dias de hoje, Alvalade ter “uma cooperativa, que é a Alensado, que consegue ter um dos maiores índices de produtividade a nível mundial. Isto contribui para que as novas gerações continuem ligadas a esta cultura.”, sublinha Álvaro Beijinha.

 

O Presidente da Câmara Municipal refere ainda que “é também um dos nossos objetivos que os restaurantes incluam nas suas ementas, ao longo do ano, os pratos típicos confecionados à base de tomate”.

A dinâmica do Festival funcionará como uma mostra gastronómica nos restaurantes. Para esta edição, serão oito os estabelecimentos que vão disponibilizar iguarias tendo como base o tomate: Restaurante Churrasqueira da Mimosa; Restaurante Cantinho da Mimosa; Restaurante Alvalade, Restaurante São Sebastião da Mimosa; Snack-bar O Messias; Casa de Petiscos O Bombeiro; Tasca do Zé e Restaurante Alentejano.

Os pratos ao dispor dos visitantes serão todos confecionados com tomate de Alvalade, produzido por associados da Alensado, CRL.

Álvaro Beijinha revela: “O tomate a ser utilizado pelos restaurantes foi produzido de acordo com normas e técnicas amigas do ambiente e é colhido à mão. Foi plantado cerca de meio hectare propositadamente para o Festival, para assegurar a sua elevadíssima qualidade.” Devido às condições únicas de clima e solo, o tomate desta região é especialmente dotado de um sabor e de uma riqueza nutritiva excecional.

 

Estão reunidos os ingredientes para uma edição de sucesso nos restaurantes da Mimosa e Alvalade.

O tomate em Alvalade

O tomate é um fruto originário da América Central e do Sul, que chegou à Europa pelo porto de Sevilha no final do século XVI, entrando rapidamente na gastronomia portuguesa na mesma época.

Começou a ser cultivado na região de Alvalade em 1959, tendo a sua produção atingido, nos anos de 1973 a 1975, o seu ponto alto, com uma área de plantação de 1600 ha. Este grande aumento de área deveu-se à adaptação da cultura às características climatéricas e aos solos desta região, à disponibilidade de água pelas obras de rega de Campilhas e do Alto Sado, e também porque, a partir de 1962, entrou em funcionamento a maior fábrica de concentrado de tomate do País (ECA).

Devido a problemas conjunturais, esta indústria fechou as suas portas nos anos 90. Daí até aos nossos dias, muita coisa se alterou a nível produtivo e tecnológico nesta cultura. No final desta década, é constituída a Alensado, Cooperativa Agrícola do Sado – Organização de Produtores de Hortícolas para Indústria.

Atualmente, nesta região, o cultivo do tomate ocupa 300 ha a 450 ha, sendo produzido de forma sustentável, recorrendo a métodos e tecnologias avançadas, os quais permitem obter produtividades acima da média mundial.

O tomate, apesar de apenas possuir, em média, catorze calorias em cada cem gramas, é um alimento rico em licopeno, vitamina A, vitaminas do complexo B e minerais importantes, como o fósforo e o potássio, além de ácido fólico, cálcio e frutose, sendo portanto um importante alimento para o fortalecimento do sistema imunológico. Quanto mais maduro, maior a concentração desses nutrientes.