Cláudia de Sousa, cabeça de lista do PPM, pelo círculo de Setúbal, quer “mais saúde, educação, emprego e… Click To Tweet

A cabeça de lista do Partido Popular Monárquico (PPM) pelo círculo eleitoral de Setúbal considera que para se conduzir o distrito de Setúbal ao desenvolvimento é necessário “mais saúde, educação pública, emprego, ecologia” e “municipalismo”. Cláudia de Sousa defende o “regresso das freguesias” e avança que é prioritário, o reforço da “Rede Nacional de Cuidados Integrados”, dos “centros de dia” e um “hospital no concelho do Seixal”.



A coordenadora da Juventude Monárquica (JM) lembra que o Hospital Garcia de Orta (HGO) já “não consegue dar resposta a toda a população de Almada, Seixal e Sesimbra”, sendo que um “hospital no Seixal poderia dar resposta a uma população de cerca de 400 mil pessoas”.  Cláudia de Sousa acrescenta que é também necessário “apostar naquilo que Setúbal tanto pode dar a nível da agricultura e das pescas”, sendo fundamental uma “maior divulgação do vastíssimo património cultural que tem”.



O elemento do PPM realça que o distrito precisa de “mais empreendedorismo no turismo”, uma vez que tem uma “região costeira e rural riquíssima” e de “grande beleza que pode ser melhor aproveitada e divulgada”, quer “nacional como internacionalmente”. Cláudia de Sousa vê, no futuro, o distrito de Setúbal como “aquilo que é atualmente um dormitório nas áreas urbanas” e um “deserto nos concelhos que já pertencem ao Alentejo”, mas que têm “uma beleza natural e histórica” que é “pouco explorada”.


Cláudia de Sousa: “pretendemos, como outros países com regime monárquico na Europa, fazer toda a diferença” Click To Tweet

logoppmA também enfermeira entende que as pessoas que estão “preocupadas com a saúde, educação pública, ecologia” e com a “empregabilidade precária” devem votar no PPM, pois pretendem, à semelhança de “outros países com regime monárquico na Europa, fazer toda a diferença”. Cláudia de Sousa esclarece que PPM é um “partido pequeno”, que “tudo vai fazer para obter o melhor resultado possível”, contudo reconhece “as suas dificuldades em ser eleita”.



A vogal da direção nacional da JM frisa que as pessoas que forem eleitas devem “apostar na educação e na saúde pública de qualidade” e devem “olhar e defender o distrito como um caso sério ao nível das vinhas, pescas” e de uma “agricultura que poderia ser muito mais aproveitada”. Cláudia de Sousa sublinha que os eleitos devem “olhar para a população do distrito de Setúbal como pessoas com rigor e com vontade de trabalhar”, devendo investir “a nível empresarial”, o que “traria mais postos de trabalho”.



A candidata do PPM pelo círculo eleitoral de Setúbal às eleições legislativas de 2015 refere que um dos problemas do distrito de Setúbal é a “falta de interesse em apostar e em investir na região”, apesar de “estar a aumentar o número de empresas”. Cláudia de Sousa acusa os “sucessivos Governos de falta de consideração pelas pessoas que habitam no distrito”, que dão o “seu melhor em troca de baixos salários”, sendo que nesta região “existe uma das maiores forças laborais da qual o país se deve orgulhar”.


Cláudia de Sousa quer “mais saúde, educação, emprego e ecologia” Click To Tweet

Autoria e coordenação: José Luís Andrade

Redação: Marlene Brito

Video e som: Pedro Soares e Francisco Matias (Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal)

Fotografia: José Luís Andrade

Apoio: Instituto Politécnico de Setúbal