O XI Festival Internacional de Música – Palmela “Terra de Cultura”, organizado pela Sociedade Filarmónica Palmelense “Loureiros”, está a decorrer até 8 de Novembro, em diversos espaços do concelho de Palmela.

O evento caracteriza-se pela diversidade sonora, tornando-se num encontro de diferentes públicos. No sábado, dia 24, às 21h30, a Casa de Atalaia, em Palmela, recebe Los Chapulines, um grupo folclórico mexicano. No domingo, dia 25, às 21h30, na sede da colectividade, tem lugar um dos pontos altos do festival, a sessão solene e concerto comemorativo do 163.º aniversário dos “Loureiros”, pelo seu Grupo Coral e Banda de Música. O festival prossegue a 30 de Outubro, às 21h30, na Sociedade de Instrução Musical (SIM) de Quinta do Anjo, com a actuação da Banda de Música dos “Loureiros” (programa integrado na Festa de Todos os Santos); e a 31 de Outubro, às 17h30, também na SIM, com o espectáculo da Orquestra de Câmara dos “Loureiros” (programa integrado na Festa de Todos os Santos), e às 21h30, na Casa Mãe da Rota dos Vinhos, em Palmela, com o Portraits Project.

Em Novembro, o programa do festival integra, no dia 1, às 17h30, ainda na SIM, o 9.º Encontro Regional de Coros do Concelho de Palmela, com os Grupos Corais Ausentes do Alentejo, da Sociedade Filarmónica União Agrícola e dos “Loureiros” (programa integrado na Festa de Todos os Santos); dia 6, às 22 horas, na Taverna da Ladeira, em Palmela, João e Maria em Brasil Brasileiro; dia 7, às 22h30, nos “Loureiros”, a Banda Big Show (programa integrado no jantar de aniversário da colectividade); e dia 8, às 16h30, na Igreja de Águas de Moura, a Orquestra de Câmara dos “Loureiros”.

No início do ano, o município de Palmela e a colectividade celebraram um protocolo de cooperação relativo ao festival, que conta com um apoio financeiro municipal no valor de 3 mil euros por edição, bem como com apoio ao nível de comunicação e a disponibilização do Cine-Teatro S. João, do auditório da Biblioteca Municipal de Palmela e respectivos equipamentos técnicos, para desenvolvimento de actividades.

A autarquia considera que “esta iniciativa possibilita, anualmente, o contacto de diferentes públicos com um leque variado de agrupamentos musicais e artistas de grande qualidade, proporcionando a descentralização das apresentações em vários locais, com palcos inusitados, e contribuindo para a dinamização cultural do concelho”.