Esta foi a nona acção da organização não-governamental, que já permitiu recolher, no total, mais de 11 toneladas de detritos

Voluntários recolheram 1 230 quilogramas de lixo numa campanha de sensibilização e limpeza que decorreu no passado sábado, na margem norte do estuário do Sado, junto à zona industrial da Mitrena, em Setúbal, anunciou a Ocean Alive.

A iniciativa, promovida pela Ocean Alive, uma organização não-governamental que pretende “transformar comportamentos para a protecção do oceano através da educação marinha e do envolvimento das comunidades costeiras locais”, permitiu também recolher 1 440 embalagens de sal deixadas pelos mariscadores do lingueirão e do casulo.

A campanha “Mariscar Sem Lixo” visa não só retirar o lixo marinho, e assim proteger as pradarias marinhas do estuário do Sado, mas também promover a sensibilização dos mariscadores, para não abandonarem as embalagens de sal que utilizam na sua actividade.

Em nove acções mensais, 621 voluntários já recolheram 17 497 embalagens de sal e 11 260 quilogramas de lixo, além de terem abordado e sensibilizado 437 mariscadores para a importância de preservarem o estuário do Sado, revela a Ocean Alive em comunicado.

A organização sublinha ainda que “o impacto directo de cada acção campanha é a descontaminação do estuário do Sado”, onde vive a única comunidade residente de golfinhos em Portugal, constituída por 27 elementos.

A campanha que decorreu no sábado faz parte da iniciativa da Ocean Alive “Guardiãs do mar: salvar o ambiente, preservar empregos”, em que participam mulheres pescadoras do Sado, que venceu o Concurso Ideias de Origem Portuguesa 2016, da Fundação Calouste Gulbenkian.