Depois de nos últimos quatro anos ter sido duas vezes afastado da Taça de Portugal por equipas de escalões inferiores, o Vitória está avisado para a necessidade de aplicação máxima na visita de domingo, pelas 15 horas, ao reduto do Casa Pia, 2.º classificado da série G do Campeonato de Portugal, na partida da 4.ª eliminatória da competição.
As derrotas, ambas por 1-0, com o Mirandela, da 2.ª divisão, em 2011/12 (sob o comando de Bruno Ribeiro), e com o Oriental, da II Liga, na temporada passada (Domingos Paciência era o treinador), são um alerta para os comandados de Quim Machado, que estão determinados em chegar à final de uma prova em que os sadinos estiveram dez vezes na final e ganharam três (1965, 1967 e 2005).
Tal como aconteceu na ronda anterior – Vitória venceu de forma clara o Coruchense (0-2) –, os verdes e brancos vão encarar o adversário com respeito e actuar de forma empenhada de modo a não permitir veleidades aos casapianos, oponente que na eliminatória passada afastaram o Oriental, da II Liga, por 3-1.
Entretanto, após cumprirem um jogo de castigo com o FC Porto, o defesa William Alves e o médio Dani voltam no Estádio de Pina Manique, em Lisboa, a ser opção para Quim Machado. Na sessão de trabalho de ontem estiveram ainda ausentes o defesa Rúben Semedo ao serviço dos sub-21 de Portugal) e o avançado Suk (selecção A da Coreia do Sul).
Ambos os atletas deverão recomeçar ainda hoje – sessão está agendada para as 9h30 – a trabalhar com os colegas no Estádio do Bonfim, podendo vir a ser opção no embate com o Casa Pia. Refira-se que a equipa principal dos gansos é orientada por Filipe Coelho, de 35 anos, treinador que, em 2006 e 2007, exerceu funções de treinador e coordenador técnico nos escalões de formação do Vitória.