A deputada Heloísa Apolónia, do Grupo Parlamentar Os Verdes, questionou o governo sobre o alargamento do passe social intermodal à Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, no concelho da Moita, exigindo que a situação seja alterada.

“Qual o motivo pelo qual os operadores de transportes colectivos, públicos e privados, rodoviários e ferroviários, que operam nas localidades da Baixa da Banheira e do Vale da Amoreira, concelho da Moita, não permitem a utilização do Passe Social Intermodal (L123)”, questionou a deputada.

Heloísa Apolónia referiu que uma das “aspirações e reivindicações” da população da Baixa da Banheira e do Vale da Amoreira tem sido o alargamento do passe social intermodal (L123) a estas localidades.

“A Portaria nº 241-A/2013, de 31 de Julho, publicada em Diário da República, definiu o alargamento do Passe Social Intermodal (L123) à totalidade do território da União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira. Porém, as regras estabelecidas mantêm-se, enquadradas no n.º 1 do artigo 38.º e n.º 3 do artigo 41.º do Regime Jurídico do Serviço Público de Transporte de Passageiros”, salienta.

A deputada quer saber quais os motivos que levam a que o passe social intermodal não pode ser utilizado e se o governo equaciona fazer diligências junto dos Transportes Sul do Tejo (TST) e da CP – Linha do Sado com vista a fazer cumprir o alargamento.