Os novos roteiros enogastronómicos ‘Da terra à mesa’, que a Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo (ERT) está a ultimar, juntam ao comer e beber o poder fazer, num conjunto de 17 percursos que permitem aos turistas não apenas conhecerem os melhores produtores locais mas também participarem nas suas atividades. Os cinco roteiros “dividem” o Alentejo em tantas outras partes para melhor orientarem os turistas no que de melhor se pode encontrar em produtos regionais nos cinco cantos da região.

Turismo Alentejo

Roteiro I, dedicado ao Alentejo Litoral, em que são propostos três percursos de degustação e experimentação, em que é possível, por exemplo, visitar portos de pesca, assistir à venda nas lotas e ver com que artes se capturam os peixes, moluscos e mariscos da costa alentejana. O Roteiro II, mas ao sul, entre Mértola e Alvito, Roteiro III, por terras do Alqueva, Roteiro IV, no Alentejo central, entre Vendas Novas e Alandroal e Roteiro V, pelo norte alentejano.

Os cinco roteiros integram, para já, 17 percursos que identificam e localizam os produtores locais, apresentam as empresas e os produtos e informam os turistas de como os podem visitar. Os guias, que estão em fase de preparação, vai fornecer, aos turistas, toda a informação necessária para a organização das suas viagens ao território alentejano, fornecendo informação, mapas, sugestões e contactos, num formato fácil de utilizar.

Os guias vão ser apresentados, para já, em suporte digital, que pode encontrar no site da ERT, estando prevista também a sua edição em papel. A entidade de turismo está agora a apresentar os roteiros aos agentes da região, em sessões descentralizadas por toda a região, antes da apresentação final, prevista para setembro. A última sessão descentralizada foi na semana passada, em Grândola.

No encontro, que contou com a presença do presidente da câmara, António Figueira Mendes e da vereadora com o pelouro do turismo, Carina Baptista, o presidente da ERT apresentou os novos guias como mais um trabalho no âmbito da aposta que o Turismo do Alentejo tem feito na estruturação da oferta turística.

“O que temos feito nos últimos anos é estruturar o produto e temos já um plano estratégico até 2020”, disse António ceia da Silva. De acordo com Ceia da silva, os guias reúnem já 160 produtores, sobretudo micro e pequenas empresas, e o número tem tendência a aumentar uma vez que o processo é dinâmico e permite a adesão posterior de novos interessados.

O presidente da entidade de turismo sublinhou que a gastronomia e os vinhos são “um produto transversal” a todos os outros segmentos turísticos, porque quem gosta de sol e mar, turismo de natureza ou turismo náutico, por exemplo, também gosta de comer e beber bem. O presidente da câmara grandolense elogiou o trabalho da ERT e classificou os novos guias como “um instrumento que faltava no Alentejo”.

Figueira Mendes referiu que “o turismo está a ganhar grande peso no concelho”, tratando-se de “um sector que está a crescer” e informou que o município está a trabalhar com a associação de produtores do Alentejo Litoral para criar um museu do vinho.