CDU prepara sucessores para Luís Franco, Carlos Humberto e Augusto Pólvora, que cumpriram três mandatos consecutivos

 

A lei de limitação de mandatos, que estabelece que os presidentes de câmara, bem como os de junta de freguesia, possam candidatar-se ao cargo apenas três vezes consecutivas no mesmo município vai implicar algumas mudanças na região. Nas próximas eleições autárquicas, que terão lugar dentro de aproximadamente um ano, três das 13 câmaras do distrito de Setúbal vão sofrer alteração presidencial, ao abrigo da referida lei.

presidentes

Os presidentes das câmaras municipais de Alcochete, Barreiro e Sesimbra, Luís Miguel Franco, Carlos Humberto e Augusto Pólvora, respectivamente, são os três autarcas que estão impedidos de se recandidatarem, depois de já terem cumprido três mandatos consecutivos à frente dos destinos dos respectivos municípios. A CDU prepara-se, assim, para arranjar três caras novas que possam suceder a um trio com peso político, casos de Carlos Humberto, ex-presidente da Área Metropolitana de Lisboa, Augusto Pólvora, que reconquistou para a CDU a Câmara Municipal de Sesimbra, em 2005, e Luís Franco, que também recuperou, em 2005, o poder que os comunistas haviam perdido para o PS, em 2001.

Além destas três saídas, a CDU também sabe que na capital do distrito, Setúbal, só poderá recandidatar a presidente Maria das Dores Meira a mais um mandato. Certo também, apurou o DIÁRIO DA REGIÃO junto de fonte da CDU, será o nome do cabeça-de-lista a apresentar pelos comunistas em Sines, município que foi conquistado nas últimas eleições pelo socialista Nuno Mascarenhas. Hélder Guerreiro foi aposta da CDU naquele concelho em 2013, saiu derrotado e já terá manifestado indisponibilidade para voltar a recandidatar-se. Assim, a CDU, que detém a presidência de 11 dos 13 municípios do distrito, irá apresentar nas próximas autárquicas, pelo menos, quatro caras novas como cabeças-de-lista.

Uma dezena com via aberta

São então 10, os actuais presidentes de câmara na região que têm ainda via aberta para se recandidatarem, nove dos quais com a possibilidade de o poderem fazer por mais dois mandatos (sete eleitos pela CDU e dois pelo PS). A excepção, como atrás se refere, reside em Setúbal, onde Maria das Dores Meira pode partir para a tentativa de arrancar um terceiro e derradeiro mandato consecutivo, apesar de ter assumido a presidência do órgão a partir de 2006, substituindo Carlos Sousa que deixou o cargo.

Assim, Vítor Proença (Alcácer do Sal), Joaquim Judas (Almada), António Figueira Mendes (Grândola), Rui Garcia (Moita), Álvaro Amaro (Palmela), Álvaro Beijinha (Santiago do Cacém) e Joaquim Santos (Seixal), todos eleitos pela CDU, bem como Nuno Canta (Montijo) e Nuno Mascarenhas (Sines), ambos eleitos pelo PS, podem recandidatar-se a mais dois mandatos consecutivos.

Em termos nacionais, 33 presidentes de câmara estão impedidos de se recandidatarem ao mesmo município, por terem atingido a limitação estabelecida por lei.

Presidentes

1maria

Maria das Dores Meira (Setúbal), CDU

pode recandidatar-se a + 1 mandato

 

1vitor

Vítor Proença (Alcácer do Sal), CDU

pode recandidatar-se a + 2 mandatos

 

1joaquim-a

Joaquim Judas (Almada), CDU

pode recandidatar-se a + 2 mandatos

 

1antonio

António Figueira Mendes (Grândola), CDU

pode recandidatar-se a + 2 mandatos

 

1rui

Rui Garcia (Moita), CDU

pode recandidatar-se a + 2 mandatos

 

1nuno-m

Nuno Canta (Montijo), PS

pode recandidatar-se a + 2 mandatos

 

1alvaro-p

Álvaro Amaro (Palmela), CDU

pode recandidatar-se a + 2 mandatos

 

1alvaro-s

Álvaro Beijinha (Santiago do Cacém), CDU

pode recandidatar-se a + 2 mandatos

 

1joaquim-s

Joaquim Santos (Seixal), CDU

pode recandidatar-se a + 2 mandatos

 

1nuno-s

Nuno Mascarenhas (Sines), PS

pode recandidatar-se a + 2 mandatos

Cabeças-de-lista definidos no Montijo

No Montijo, única câmara do distrito de Setúbal sem maioria absoluta, o presidente Nuno Canta, que preside também à Comissão Política Concelhia local do PS, já anunciou que irá recandidatar-se ao cargo. De resto, este também o primeiro dos 13 concelhos da região em que o nome dos cabeças-de-lista dos principais partidos às autárquicas de 2017 estão já definidos. A CDU deverá manter a aposta em Carlos Jorge de Almeida. O PSD irá apresentar João Afonso e o Bloco de Esquerda deverá voltar a candidatar Cipriano Pisco.

MÁRIO RUI SOBRAL