Pela primeira a presidência foi entregue a Portugal e a uma mulher. A Presidente da Câmara vincou que assume funções com “espírito de missão”

“É com imensa alegria e indisfarçável entusiasmo que tenho a honra de assumir, em nome da Baía de Setúbal, a presidência do Clube das Mais Belas Baías do Mundo”. Foi com estas palavras que Maria das Dores Meira acolheu de braços abertos a presidência mundial do Clube das Mais Belas Baías do Mundo, que, desde a passada quarta-feira, passou a pertencer a Setúbal. A presidente do município sadino assumiu o cargo no 11.º congresso daquele clube que decorreu em Porto Galero, nas Filipinas, desde o passado dia 1 e até ao último sábado.

A autarca fez questão de sublinhar que a responsabilidade confiada a Setúbal é “assumida com empenho e determinação, mas, principalmente, com um sentido de missão”. Acentuou que o clube “celebra sobretudo a união entre os povos da Terra, articulando de forma muito funcional e harmoniosa as diferenças”.

Mais fascinante do que a exuberância das paisagens, praias, marinas e equipamentos turísticos, no Clube das Mais Belas Baías do Mundo, são a diversidade humana, os costumes e as tradições, a que se aliam os patrimónios ambientais, culturais, históricos, linguísticos, étnicos e sociais, realçou a edil, que assumiu a presidência para o triénio 2016-2019.

“O paradigma deste ciclo de três anos de trabalho árduo que agora iniciamos é o da convergência, que respeita a diversidade e que abraça o património ecológico deste belíssimo Planeta Azul”, disse a presidente da Câmara.

Propostas a concretizar

A autarca partilhou um conjunto de propostas que apontam à maior afirmação da associação constituída a 10 de Março de 1997, em Berlim, Alemanha, e que procura promover a troca de experiências entre os membros ao nível de políticas de protecção, conservação e desenvolvimento sustentado das baías.

“A identificação com sinalética uniformizada para todas as baías do clube, a celebração do Dia Mundial das Baías a uma escala global e a criação do Jardim das Baías, um espaço verde alusivo ao clube, com várias espécies autóctones representativas da flora de cada baía membro, são projectos para o mandato de Maria das Dores Meira”, revela a autarquia setubalense.

Mas há mais: a dinamização de uma rota de veleiros entre as baías, a divulgação mundial das baías, através de uma aposta forte na visibilidade mediática e a criação de bolsas de mérito para propostas inovadoras e ambientais de protecção às baías são, entre outras, propostas que Maria das Dores Meira espera ver concretizadas. “Porque é o mar que nos une a todos, porque são os oceanos que afinal ligam entre si as diferentes culturas e sensibilidades, esta presidência irá dedicar especial atenção à protecção ambiental, apoiando e fomentando projectos que defendam o património marítimo das baías e a universalidade das massas oceânicas”, justificou a autarca.

Dores Meira sucede no cargo a Galip Gur, de Bodrum Bay, Turquia, a quem deixou elogios . “A responsabilidade deste mandato é enorme, já que sucede a exemplar presidência de Galip Gur, de Bodrum Bay, na Turquia.”

A autarca homenageou, igualmente, os fundadores do clube, que, há quase duas décadas, “tiveram a visão de criar uma associação para preservação e melhoria das condições das baías, não comprometendo o futuro das gerações e defendendo o meio ambiente, as espécies marinhas e os recursos de sobrevivência das populações locais”.

O restrito clube, que entregou pela primeira vez a presidência a uma mulher e a Portugal, conta com 38 representantes, espalhados por 25 países e em quatro continentes. A baía de Setúbal pertence ao organismo desde 14 de Novembro de 2002 e conta com uma associação local para promoção e defesa daquele património.