Golos de Fábio Cardoso e Zé Manuel colocam sadinos na fase de grupos da Taça da Liga

Depois de seis jogos oficiais sem ganhar (cinco no campeonato e um na Taça de Portugal), o Vitória reencontrou ontem os êxitos ao vencer o Santa Clara, por 2-0, em partida da 2.ª fase da Taça da Liga. O triunfo alcançado no Estádio do Bonfim permitiu à equipa comandada por José Couceiro qualificar-se para a fase de grupos da competição que o clube conquistou na primeira edição (2007/2008).

O defesa Fábio Cardoso e o avançado Zé Manuel, ambos na primeira parte do encontro, fizeram os golos que permitiram aos setubalenses a afastar o actual 2.º classificado da II Liga, conjunto que há cerca de semana e meia eliminou da Taça de Portugal o primodivisionário Rio Ave.

Com o pensamento na recepção de sábado ao FC Porto e com o objectivo de dar minutos de competição aos atletas menos utilizados, José Couceiro procedeu a nove altera- ções no onze em relação ao embate de sábado passado em Santa Maria da Feira (empate 1-1 com o Feirense). As excepções foram o lateral-direito André Geraldes e o avançado Zé Manuel, jogadores que actuaram os 90 minutos.

Apesar da réplica dada nos 90 minutos, o Santa Clara não conseguiu travar os comandados de José Couceiro, que inauguraram o marcador num cabeceamento do defesa Fábio Cardoso, aos 27 minutos, após canto cobrado na esquerda por Ruca. Os insulares não acusaram o golo e ameaçaram a baliza defendida por Pedro Trigueira por intermédio de Diogo Ribeiro, que, aos 31 minutos, foi perdulário na cara do guardião dos sadinos.

Destaque também para as estreias a titular do defesa Pedro Pinto (ex-Leixões) e do médio Ryan Gauld (cedido pelo Sporting). O escocês esteve em bom plano na primeira parte, período em que os sadinos estiveram quase sempre por cima no jogo. Aos 11 minutos, Gauld teve um excelente apontamento ao cruzar de trivela para Zé Manuel rematar com perigo ao lado do poste direito.

O atacante cedido pelo FC Porto, que não pode defrontar sábado o seu clube de origem, acabaria por se redimir mais perto do final da primeira parte. Zé Manuel, após assistência do colega Vasco Costa, foi eficaz ao aproveitar uma saída em falso do guarda-redes Pedro Soares para ampliar a vantagem quando o cronómetro marcava 38 minutos.

Na segunda parte, acusando a falta de ritmo competitivo, o Vitória baixou de produtividade. O Santa Clara tentou aproveitar para reentrar na discussão do jogo, instalando-se no meio campo dos sadinos. A melhor oportunidade que os açorianos tiveram aconteceu, aos 82 minutos, num remate cruzado de João Reis, que acertou no poste esquerdo de Trigueira, que aos 76 minutos já tinha travado um remate venenoso de um adversário.

RICARDO LOPES PEREIRA