O secretário de estado do Ambiente, Carlos Martins, afirmou que pretender resolver os problemas administrativos que envolvem o território da Margueira, em Almada, até ao final do ano.

“Existe um plano ambicioso para resolver problemas de natureza administrativa, nomeadamente no município de Almada, onde existem pareceres que têm que ser dados a propósito do plano para o território. Vamos tentar ser um fator de aceleração para que se possam materializar os ambiciosos projetos”, disse, durante uma visita do Barreiro e do Seixal.

“Existe a questão da delimitação do domínio hídrico e outras questões que não tiverem resolução no passado, mas que para o plano se concretize é preciso uma resolução. Esperamos que ainda este ano se possa resolver”, afirmou.

O secretário de estado explicou que realizou há poucos meses uma reunião de trabalho em que foram identificadas situações que necessitavam de pareceres de vários organismos da administração central.

“Durante a primeira quinzena de outubro vamos fazer uma reunião em que estamos todos juntos, à mesma mesa, para resolver os problemas administrativos identificados pela Baía do Tejo. Sinto da autarquia de Almada e da Baía do Tejo um empenho grande. É preciso criar condições para que o investimento possa aparecer, não podemos perder oportunidades e para isso é preciso resolver problemas”, salientou.

Carlos Humberto, presidente da Câmara do Barreiro, garantiu que existem entidades interessadas em investir “em qualquer um dos três territórios”.