O secretário de Estado da Saúde quer reduzir em 30 ou 40% o número de utentes sem médico de família na região. Foram abertas 14 vagas para os ACES do Arco Ribeirinho (Barreiro/Moita/Montijo), de Almada/Seixal e da Arrábida (Palmela/Sesimbra/Setúbal)

O secretário de Estado da Saúde, Fernando Araújo, anunciou na quinta-feira a abertura de 42 vagas para médicos nos Agrupamentos dos Centros de Saúde (ACES) da península de Setúbal. O objectivo é reduzir o número de utentes sem médico de família.

“Foi hoje [quinta-feira] lançado o aviso para o concurso de Medicina Geral e Familiar. Foram abertas 14 vagas no ACES do Arco Ribeirinho (Barreiro/Moita/Montijo), 14 no ACES Almada/Seixal e 14 no ACES Arrábida (Palmela/Sesimbra/Setúbal)”, disse o governante. “Vamos tentar que estas 42 vagas sejam preenchidas na totalidade, o que permitirá reduzir o número de utentes sem médico de família em 30 a 40 por cento. O número de vagas é mais ou menos adequado ao número de candidatos. Acreditamos que a maior parte destas vagas será ocupada no princípio de Julho”, acrescentou.

O secretário de Estado falava à Lusa depois de um encontro informal com cerca de uma centena de militantes socialistas, médicos e outros convidados, no âmbito da iniciativa “90 Minutos Com”, promovida pelo PS/Setúbal, onde foram abordadas diversas questões sobre a saúde na região. No encontro, que afinal durou quase três horas e foi muito participado, Fernando Araújo não só explicou e justificou a necessidade de algumas medidas do Governo na área da saúde, como também registou críticas de profissionais do sector, designadamente devido à falta de médicos anestesistas no Hospital de São Bernardo, que obriga ao adiamento de intervenções cirúrgicas programadas.

Confrontado com as dúvidas dos enfermeiros sobre a reposição das 35 horas de trabalho por semana, o secretário de Estado esclareceu que o Ministério da Saúde “ainda está a negociar com os sindicatos dos enfermeiros”, mas afirmou-se convicto de que haverá um acordo dentro de pouco tempo.