A margem Sul deverá ser o destino de uma das cinco lojas que o grupo sueco IKEA tem previstas abrir em Portugal, entre 2017 e 2025. Em declarações ao Diário Económico, a directora de Comunicação Corporativa do grupo nórdico, Cláudia Domingues, admitiu que a região é mesmo uma “forte” hipótese para acolher parte do investimento que IKEA pretende efectuar no nosso País.

“As localizações ainda não estão fechadas, mas deverão ser na Grande Lisboa e Grande Porto”, começou por avançar a responsável àquele periódico, adiantando, mais à frente, que a margem Sul “é uma forte possibilidade”.

“Até 2025, o plano de expansão é ter dez lojas IKEA no país, sendo que, para tal, prevemos contratar três mil colaboradores para lojas e indústria. Destes, a maioria será obviamente nas nossas lojas que, de acordo com a sua dimensão, poderão empregar entre 200 a 500 colaboradores cada”, explicou Cláudia Domingues ao Diário Económico.

A IKEA conta, actualmente, com três lojas em Portugal – em Alfragide, Loures e Matosinhos – que empregam cerca de 1500 funcionários, a somar a mais cerca de 1500 que operam na parte industrial, localizada em Paços de Ferreira. O grupo sueco espera duplicar o número de três funcionários ao fim dos próximos dez anos, com a abertura de sete novas lojas, num investimento global que rondará os 1.100 milhões de euros. No próximo ano, está previsto a abertura de portas de uma loja em Braga e uma outra, em 2017, em Loulé, a primeira localizada a sul do Tejo. A localização das outras cinco lojas estão ainda por definir, sendo que uma destas deverá ser estabelecida no Distrito de Setúbal.