Meyong, avançado do Vitória, prepara-se para cumprir sábado, a partir das 20h45, frente ao Sporting o jogo número 200 no escalão principal. Relegando para segundo plano a luta pelo título que opõe leões e o Benfica, o camaronês só pensa em ajudar a sua equipa a pontuar em Alvalade. Se cumprir esse objectivo, a equipa de Quim Machado arruma matematicamente a questão da permanência, sem depender dos desfechos dos adversários directos na luta pela salvação.


Com Vitória e Sporting a precisarem de pontos para atingirem os respectivos objectivos, o que espera da partida em Alvalade?

Estamos focados em fazer um bom resultado. Sabemos a qualidade e potencial do adversário e que vai ser um jogo muito complicado. Nós também precisamos de pontos e temos trabalhado esta semana para pelo menos pontuar no sábado. A nossa situação ainda não está resolvida e queremos resolvê-la o quanto antes.

Vai ser especial reencontrar o treinador Jorge Jesus?

Trabalhei com ele muitos anos e temos uma boa relação, mas neste momento o meu interesse, como jogador do Vitória, é ir lá e, se possível, ganhar. Não temos nada que ver com a actual luta do Sporting nem do Benfica. Queremos ir lá e tentar resolver a nossa situação.

Já pensaram que podem ter, por contingência do calendário, um papel decisivo na questão do título?

Quando falamos do jogo no balneário, o nosso interesse é o Vitória. A nossa única preocupação prende-se com a vontade de sair da situação em que estamos. Temos tentado ganhar um jogo há algum tempo, mas as coisas não nos têm corrido bem. Queremos vencer para provar que estamos vivos e resolver a nossa situação.

Tem influência o facto de quando entrarem em campo já saberem os resultados de Tondela e Académica. Como gerem essa situação?

É possível que essa questão  mexa um pouco connosco. Mesmo que entremos em campo mais tranquilos, por as coisas poderem estar resolvidas, queremos pontos para resolver por nós a situação, independentemente do que os outros possam fazer.

Dois jogos para inverter quebra

Como explica a quebra de rendimento do Vitória. Foi só pela saída de Rúben Semedo e Suk?

É complicado explicar.  Saíram dois jogadores importantes e com influência, mas não é isso que faz uma equipa. Os outros que jogaram nessa altura estão cá! As coisas não têm corrido como queríamos, mas essa situação é passado. A realidade é que não fizemos uma grande segunda volta, mas temos ainda dois jogos para inverter a curva actual.

Tem preferência ou acha que algum clube merece mais ser campeão?

Tenho a minha opinião, mas não conta. O meu pensamento é apenas o Vitória. Estão dois grandes clubes na luta pelo título, Benfica e Sporting, ambos estão a jogar muito bem e, por isso, estão a lutar taco a taco. Que ganhe o melhor.

Sente-se preparado para jogar os 90 minutos?

Se não conseguisse fazer 90 minutos não estava cá! Não sou eu que decide quem joga. Compete-me trabalhar e esperar uma oportunidade. Há um treinador que é pago para decidir. O importante não é quem joga, mas sim o objectivo comum de ganhar. Quem jogar dará tudo para ajudar o clube.

Como se sente poder cumprir o jogo número 200 na 1.ª Liga este fim-de-semana?

Não ando a contar os jogos, mas é um orgulho. Gosto muito deste clube e fui adoptado nesta cidade. Estou contente e quero ajudar o Vitória.

Como jogador experiente, de que forma vê a situação dos alegados incentivos que dão a equipas para vencerem clubes que estão envolvidos na luta pelo título?

Essa questão é entre o Benfica e o Sporting. Não temos de entrar nessa guerra. Nós temos o nosso trabalho, como o Marítimo e o Sporting. Estamos focados em jogar sábado e fazer um grande jogo e ganhar. Há apenas três resultados possíveis e um deles não nos interessa porque precisamos de pontos.

Marcou e ganhou várias vezes ao Sporting. Qual a principal memória que guarda desses confrontos?

Não tenho um jogo nem golo em particular. Sei que costumo fazer bons resultados com o Sporting. Quando estava no Sp. Braga perdi poucos jogos com eles. Agora as coisas são diferentes, mas espero repetir os bons momentos que tive com o Sporting. É esse o meu desejo.