Fonte do PSD local diz que entendimento com o PS está feito. Pedro Vieira, presidente da comissão política do partido laranja e vereador na Câmara, não dá o cenário como fechado. Até porque, tudo estaria dependente de uma reunião agendada para o final da tarde de ontem, entre os dois partidos

O PSD do Montijo estará muito próximo de chegar a um entendimento com a gestão socialista do executivo camarário para viabilizar o Orçamento Municipal para 2016.

De acordo com fonte dos social-democratas, os vereadores Pedro Vieira e Maria das Mercês Borges deverão abster-se na votação do documento, que, ao que tudo indica, será apresentado na reunião pública do executivo do próximo dia 28.

“Isso ficou claríssimo na reunião da comissão política – que foi alargada aos autarcas da Câmara e Assembleia Municipal, eleitos pelo partido –, realizada na segunda-feira, logo após ter decorrido a reunião ao abrigo do estatuto da oposição, promovida pelo presidente da Câmara Municipal, Nuno Canta, com representantes de todos os partidos”, disse fonte do PSD local ao Diário da Região.

Versão diferente tem Pedro Vieira, vereador na autarquia e presidente da comissão política social-democrata, que nega ter sido essa a posição transmitida na reunião da concelhia laranja.

“O PSD ainda não tomou essa decisão. Vamos, inclusive, ter hoje [ontem] uma reunião com o presidente [da Câmara]. Essa decisão não está tomada”, começou por dizer o responsável pela secção do Montijo do PSD. Confrontado com a informação contrária, apurada pelo DIÁRIO DA REGIÃO, junto da referida fonte do partido, Pedro Vieira foi lapidar: “Não tem [essa informação]. Eu sou presidente da comissão política, eu sou vereador, eu sou o PSD. Essa notícia não está correcta. Se quiser dar a notícia correcta, terá de aguardar pela reunião que vamos ter com o senhor presidente, hoje [ontem].”

O autarca não negou, porém, a possibilidade de entendimento com o PS, reforçando: “A posição do PSD não está fechada, porque ainda não decorreu a reunião [de ontem]. A posição que foi tomada dentro do PSD não foi essa [de viabilizar o orçamento].”

À hora de fecho desta edição, o cenário de viabilização do Orçamento Municipal, segundo Pedro Vieira, não se colocava. Até porque, ontem, à partida para a reunião com o presidente da Câmara, o PSD estava, segundo Pedro Vieira, “mais perto para inviabilizar” o documento, ou seja, para votar contra o Orçamento Municipal. “Porque nos dois anos anteriores o PS nunca se sentou com o PSD com interesse de viabilizar o orçamento”, rematou.

Entendimento não é visto com bons olhos

A hipótese de o PSD vir a viabilizar o Orçamento Municipal não é vista com bons olhos por todas as correntes de opinião que existem no seio da estrutura partidária local. “É mais fácil a abstenção do que fazer oposição. Para um partido sem grande músculo é muito mais cómodo a abstenção”, considerou a mesma fonte do PSD local, acrescentando que, a confirmar-se este cenário, o PSD deixará de liderar a oposição, já que nada justifica que o partido viabilize pela primeira vez, neste mandato, o Orçamento Municipal, depois de ter votado contra o documento nas duas outras ocasiões anteriores.

“Se houvesse um projecto e uma estratégia, atendendo ao actual quadro político do Montijo, o PSD teria de votar contra. Como se justifica esta inversão de posição? A não ser que seja por desistência de se ser uma alternativa [à gestão socialista]”, atirou, a concluir, a mesma fonte do partido.