O PSD de Setúbal vai propor ao executivo da CDU na Câmara Municipal que não altere o estacionamento público tarifado na cidade sem que esteja concluído o Plano de Mobilidade que ainda está a ser feito.

Nuno Carvalho, presidente da concelhia do PSD de Setúbal, disse numa conferência de imprensa realizada na sexta-feira que a questão da mobilidade no concelho foi impulsionada pela petição contra o aumento do estacionamento pago em Setúbal. A iniciativa do PSD reuniu mais de duas mil assinaturas de moradores, comerciantes e trabalhadores da cidade e conseguiu que a proposta da maioria CDU fosse retirada, dando origem a um grupo de trabalho para a mobilidade, acrescentou o líder social democrata.

Nuno Carvalho lembrou, a propósito, que “a petição defende uma retirada da proposta que contemplava um aumento significativo, diria até brutal, do estacionamento pago na cidade, fazendo disparar para cerca de cinco mil lugares o estacionamento pago na cidade, e inclusive com que em todo o centro da cidade de Setúbal nós tivéssemos estacionamento pago sem ter qualquer alternativa”.

O dirigente considera que “aumentar, diminuir ou compensar o estacionamento automóvel pago numa cidade é sempre a última medida quando se pensa num plano de mobilidade”, e que antes é preciso “pensar em alternativas” como ciclovias e um melhor sistema de transportes públicos. Assim, juntamente com a petição, o Partido Social Democrata vai entregar um pacote de propostas para o Plano de Mobilidade que começou a ser elaborado.

Eliminar as “barreiras físicas à acessibilidade e mobilidade pedonal, incluindo a eliminação do estacionamento abusivo e melhoria das condições para pessoas com mobilidade reduzida”; criar uma “rede de ciclovias segura” e uma “intermodalidade entre os meios de transporte fluvial, ferroviário e rodoviário” no concelho e em ligação com os concelhos vizinhos e melhorar o serviço de transportes públicos são as principais medidas a ser propostas à CDU.

Câmara deve explorar estacionamento

 

Sobre a exploração do estacionamento, o PSD de Setúbal defende que não seja lançado o concurso público para que haja uma concessão para os cinco mil lugares. O partido quer que “a exploração do estacionamento pago e não concessionado continue a ser realizada pelo Município de Setúbal, permitindo que as receitas possam financiar parte ou a totalidade das medidas a implementar no âmbito no Plano de Mobilidade”, lê-se num comunicado de imprensa enviado às redacções.

Durante a elaboração do referido Plano de Mobilidade, acrescentou Nuno Carvalho, “nada impede que sejam tomadas medidas”.

Recorde-se que a Câmara de Setúbal assumiu a “gestão directa e formal do parqueamento tarifado” no município no final do mês de Março, após o fim do contrato de concessão com a empresa Resopre. Nessa altura, anunciou a intenção de avançar com um novo concurso público para o estacionamento tarifado, com possibilidade de alargar de mil para três mil os lugares de estacionamento tarifados, nas zonas mais procuradas da cidade e ao longo dos próximos cinco anos, e para um total de cinco mil lugares no período de 15 anos.