Os socialistas voltaram a “beneficiar” da abstenção dos social-democratas, aos quais se juntaram agora os bloquistas. A CDU votou contra, tal como sucedera na Câmara

O PSD manteve, na Assembleia Municipal do Montijo, o sentido de voto (abstenção) que havia permitido a viabilização do Orçamento Municipal para 2016 na Câmara e os documentos previsionais para o próximo ano foram ratificados na passada segunda-feira. A posição da bancada social-democrata era suficiente para que o orçamento passasse na Assembleia Municipal, ainda assim a maioria socialista viu essa posição reforçada com a abstenção do Bloco de Esquerda, contabilizando-se apenas os votos contra da CDU, tal como já havia sucedido na Câmara Municipal.

Um ano depois, o município vai assim voltar a ter Orçamento Municipal, já que os documentos previsionais para 2015 mereceram, na Câmara Municipal, o chumbo da oposição – os votos favoráveis da gestão socialista (três) presidida por Nuno Canta foram então insuficientes perante a votação contra os quatros votos contra dos vereadores da CDU (dois) e do PSD (dois).

Foi a primeira vez, neste mandato, que os social-democratas viabilizaram o orçamento – a CDU tinha viabilizado, pela abstenção, o orçamento no primeiro ano da presidência de Nuno Canta.

Três milhões para investimento

O orçamento para 2016 apresenta um valor total de 25 milhões e 809 mil euros, montante inferior em cerca de 1 milhão de euros relativamente ao de 2014.

Para 2016, o município espera arrecadar, através da receita corrente, pouco mais de 25 milhões de euros, dos quais 11 milhões e 850 mil euros correspondem a impostos directos (IMI, IMT, IUC e Derrama). Os impostos indirectos atingem um valor pouco superior a 693 mil euros e as transferências correntes o montante de 7 milhões e 817 mil euros. As receitas de capital totalizam 807 mil e 480 euros.

No documento, estão previstos 3 milhões e 536 mil euros de despesas de capital em investimentos como a construção de espaços verdes e reabilitação de parques infantis no Alto das Vinhas Grandes, a reabilitação e pavimentação de diversas vias – como o acesso ao Bairro da Bela Colónia –, a substituição da cobertura em fibrocimento da Escola Básica da Atalaia, a recuperação da Ermida de Santo António no Pátio de Água, a aquisição de trator e alfaias para a freguesia de Sarilhos Grandes, a reabilitação do Largo da Feira em Canha e a construção de um monumento de homenagem aos ex-combatentes do Ultramar. A despesa corrente ascende a 22 milhões e 272 mil euros.