Os autarcas do PS na Assembleia Municipal da Moita questionaram o executivo sobre a veracidade do conteúdo do vídeo que circulou nas redes sociais, ilustrando o armazenamento de óleos alimentares usados recolhidos pelo município, guardados no cemitério do .

“Face à resposta do executivo que desvalorizou o facto, o PS da Moita questionou a Agência Portuguesa do Ambiente (A.P.A.) sobre a legalidade de tal decisão. A resposta agora obtida da A.P.A. confirma que a situação constitui uma infração legal, tendo esta entidade remetido o assunto para a entidade fiscalizadora competente em matéria de ambiente, a IGAMAOT – Inspeção Geral da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território, para atuação competente”, refere o PS Moita em comunicado.

“O respeito que merecem os nossos defuntos obriga a que os locais onde repousam os seus restos mortais sejam tratados com dignidade”, acrescenta.

O DIÁRIO DA REGIÃO contactou a Câmara Municipal da Moita, que recusou fazer qualquer declaração sobre o caso.