A Direcção Politica Concelhia do PS na Moita promoveu, por ocasião das festas em honra da Nossa Senhora da Boa Viagem, na Moita, um jantar que juntasse militantes, simpatizantes e dirigentes nacionais e distritais.

O Presidente da Federação, dirigentes distritais e locais, para além de membros de outras concelhias, confraternizaram num jantar que decorreu numa das esplanadas da Festa e que juntou quase uma centena de pessoas, tendo em seguida se realizado a habitual visita a vários pontos da festa.

A iniciativa contou com as presenças de Inês de Medeiros, Vice-Presidente do Conselho de Administração da Fundação Inatel; Catarina Marcelino, Eduardo Cabrita e Pedro Marques, os quais assumem as funções de Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Ministro-Adjunto e Ministro do Planeamento e das Infraestruturas no Governo, respectivamente.

É de referir também a presença dos deputados do PS eleitos pelo Círculo Eleitoral de Setúbal: Eurídice Pereira e André Pinotes Batista.

“Importa agradecer a todos os que nos prestigiaram com a sua companhia, respondendo positivamente ao nosso convite, contribuindo dessa forma para o sucesso desta iniciativa. Esperamos que tenham gostado e ficado com a melhor impressão daquela que é a sede do nosso Concelho, a Vila da Moita”, refere o PS Moita em comunicado.

“Dos contactos estabelecidos com a população fizemos questão de demonstrar o quanto a mesma poderá continuar a contar com o esforço do PS, ainda que, localmente, esbarremos na permanentemente intransigência e no desrespeito da prática democrática por parte de quem nos governa há 40 anos.

Embora em ambiente de Festa não deixámos de vincar que continuaremos a defender os munícipes do nosso concelho para que estes vejam, cada vez mais, realizadas as suas aspirações no concelho que escolheram para viver”, concluiu.

Euridice Pereira de “coração partido”

Deputados“Estes festejos são particulares porque têm forte identidade e, acumulando já séculos de vida, celebram a tradição e as novidades, respeitam o sagrado e vivem o profano. Há aqui qualquer coisa de diferente que funciona como um íman para as pessoas da terra mas não só. Milhares de forasteiros têm sempre na sua agenda estas Festas, seja pela procissão, pelas largadas ou touradas, pelo convívio, ou pela simples visita da praxe. Pena que quando se apagam as luzes ao fim destes 10 dias o concelho caía numa penumbra confrangedora até ao ano seguinte. Tenho exercido funções diversas no distrito ou com influência nele, nasci e resido na Moita e parteme o coração quando constato ano após ano a completa ausência de projecto para este concelho onde a marca de referência é estar na cauda dos indicadores que indicam bem estar e conforto , na Península de Setúbal e mesmo na Área Metropolitana de Lisboa. Lamento a falta de mobilização colectiva que abane tudo isto, que seja exigente com o Município, que queira mais do que esta tacanha intervenção municipal que há anos capturou e anestesiou o concelho e o mantém refém da pequenez. Gostava de assistir ao fim desta letargia para que fosse possível celebrar a nossa vida no concelho para além destes fantásticos 10 dias de Festa.”