António Mendes, líder distrital socialista afirma que autarca da CDU não está preocupada com Porto de Setúbal. Paulo Lopes, do PS Setúbal, acrescenta que posição de Dores Meira soa a “desculpa antecipada”

 

O PS reagiu ontem às declarações de Maria das Dores Meira – sobre as “reservas” da ministra do Mar ao projecto da Marina de Setúbal da empresa Macau Legend – considerando que as palavras da autarca comunista de Setúbal são graves e irresponsáveis.

“Graves porque proferidas num tom pouco elegante e de insulto gratuito. Irresponsáveis porque já se percebeu que a presidente da Câmara não está nada preocupada com a competitividade do Porto de Setúbal, não se importando em sacrificar a acessibilidade marítima por uma fantasia que a própria criou e com que tenta enganar os setubalenses a propósito do pretenso investimento chinês.”, afirma o presidente da Federação Distrital do PS em comunicação enviada ao DIÁRIO DA REGIÃO.

ps

António Mendes acrescenta que “todos os projectos de investimento, em particular estrangeiro, são bem-vindos” mas que “neste caso concreto há vários aspectos que não se conhecem e que precisam de maior detalhe”.

Para o líder distrital rosa, “o investidor de que se fala [David Chow] tem um histórico, que, a confirmar-se, não deixará de pesar na exigência de garantias adicionais à efectiva concretização de todo o projecto e não apenas a uma parte”.

A Federação do PS diz que “não é claro o grau de dependência de determinada parte do projecto em relação ao sector do jogo e se a implantação é em áreas sob jurisdição portuária, pelo que não se sabe como se articula esse investimento com a competitividade do Porto de Setúbal, agora impulsionada com as obras de acessibilidade marítima”.

O presidente da distrital socialista sublinha que “há ainda várias incógnitas que carecem de maior explicação e detalhe para que se possa ultrapassar a barreira entre aquilo que se gostaria e o que é a realidade da vida” e reitera que “do lado do PS estaremos sempre do lado dos bons projectos que criem valor e resgatem Setúbal como capital moderna e cosmopolita”.

PS Setúbal estranha relação com autárquicas

Por parte da concelhia socialista de Setúbal, Paulo Lopes diz estranhar as palavras de Dores Meira que relacionam o projecto com as próximas eleições autárquicas.

“Achamos muito estranha a associação entre este projecto e as autárquicas porque desde o início sempre demonstrámos estar a favor da construção de uma marina em Setúbal, obviamente que com respeito por todos os condicionalismo em causa”, diz.

“Somos a favor de investimento em Setúbal”, garante o líder local do PS, considerando que a posição da autarca da CDU “revela o nervosismo da senhora presidente em relação às autárquicas”.

Paulo Lopes acrescenta não entender “porque é que a senhora presidente põe em causa a ministra quando o que foi dito é que o projecto tem que ser compatibilizado com o investimento que vai ser feito no Porto de Setúbal”.

“Esperemos que toda esta agressividade da senhora presidente não seja apenas estratégia eleitoral antecipando já uma desculpa e um bode expiatório para um eventual falhanço do projecto”, atira o responsável concelhio, concluindo que “seria bom que a presidente, em vez de atacar o PS e o Governo, procurasse o consenso e as condições necessárias para que o projecto se concretize”.

Recorde-se que Maria das Dores Meira reagiu ontem, em declarações ao DIÁRIO DA REGIÃO, às reservas colocadas pela ministra do Mar ao projecto da nova Marina de Setúbal.

Ana Paula Vitorino afirmou, nas Jornadas Parlamentares Distritais do PS, que “nunca permitirá” que seja posto em causa o acesso de navios ao Porto de Setúbal. É que a marina prevista aproxima-se do Canal Norte, o canal de navegação no rio Sado que o Governo pretende aprofundar para permitir a entrada de navios maiores no porto sadino.

Dores Meira disse ter fiado preocupada com as declarações da ministra, pediu explicações e afirmou que a posição revelada pela governante “é a criação, em ano, eleitoral, de dificuldades á concretização de um projecto transformador para Setúbal, de forma a beneficiar o PS no processo eleitoral autárquico que se avizinha”.