O Partido Socialista da Moita acusou a CDU e o BE de terem impedido a discussão sobre uma proposta apresentada, na Assembleia Municipal, que visava a aplicação de descontos no Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) para famílias do concelho com filhos a cargo.

“A Proposta de Deliberação que visava reduzir de 10 a 20% os encargos com o IMI das famílias com filhos do concelho da Moita, foi apresentada pela Bancada do PS na Assembleia Municipal da Moita, em conformidade com a Lei do Orçamento de Estado”, refere o PS em comunicado.

Os socialistas acrescentam que o tema é uma “competência das Assembleias Municipais”, mas que na Moita “não foi sequer autorizada a sua admissão para discussão e posterior votação pelos votos contra da CDU e do BE”.

“Estranha esta contradição de quem vem proclamando os interesses dos mais desprotegidos e da classe média, mas que quando detém o poder de pôr em prática a sua atenuação nem sequer permite a sua discussão”, acrescenta o PS.

Na última reunião pública de Câmara que decorreu na freguesia do Gaio-Rosário, o tema do IMI foi também levantado, com o presidente Rui Garcia a referir que o assunto será discutido em Novembro.

“O Governo foi generoso e decidiu que as Câmaras podiam baixar as suas receitas, enquanto eles mantêm. A decisão sobre o IMI na Moita é tomada sempre em Novembro e vai ser assim. Agora quem fala em ajuda à natalidade por uma redução de 50 euros, não me parece que seja por 50 euros que as pessoas vão decidir ter mais filhos”, afirmou.