A Coopérnico, primeira cooperativa a vender energia 100% verde em Portugal, tem um dos seus seis projectos a funcionar no concelho de Palmela, através de uma parceria com a Cooperativa Biovilla, que cedeu os seus telhados para a instalação de painéis fotovoltaicos.
A Coopérnico foi fundada em 2013 por um grupo de 16 pessoas de diferentes áreas profissionais, que partilham uma preocupação: o desenvolvimento sustentável. A parceria com a Biovilla (projecto que pretende fomentar o desenvolvimento social, económico e ambiental de forma integrada e equilibrada e que assenta a sua actividade em três pilares base: alimentação, aprendizagem e alojamento) foi o seu primeiro projecto de cooperação entre cooperativas. Situada em pleno Parque Natural da Arrábida, é “um excelente local para produzir energia, com imenso sol”, reconhece Nuno Brito Jorge, presidente da direcção da Coopérnico. A funcionar desde Julho de 2014, os 28 painéis fotovoltaicos instalados na Biovilla, num investimento de 9.500 euros, têm uma produção anual de 11.280 kWh, o correspondente a quatro famílias abastecidas.
Este é um dos seis projectos actuais da Coopérnico, que já conta com 300 membros, um investimento de 334 mil euros e 114 contratos com particulares e pequenas empresas. Os restantes projectos têm como parceiros a Quinta do Caracol (projecto-piloto), a Câmara Municipal de Mangualde, a APPACDM-Lisboa (dois) e a Associação João Santos. “A energia produzida é toda vendida à rede e os parceiros ficam com uma percentagem desse valor”, explica Nuno Brito Jorge, garantindo que a cooperativa apresenta, actualmente, “a electricidade mais barata do mercado”.
Para breve, revela, está prevista a implementação de projectos em que já será produzida energia para consumo da instituição parceira, uma vez que “já há enquadramento legal que o permite e a cooperativa está a adaptar-se a esse formato”.
Para já, a Coopérnico actua em parceria com uma empresa de electricidade que já opera no mercado, a Enforcesco, mas o presidente da direcção adianta que “o objectivo é alcançar a independência, em 2016”.
Os particulares e empresários que pretendam utilizar a energia produzida pela Coopérnico têm que se tornar membros da cooperativa. Desta forma, poderão também participar na sua gestão, sendo que cada membro tem o mesmo poder (um voto) nas tomadas de decisão, e investir em projectos de produção de energia verde. Estão disponíveis mais informações em www.coopernico.org.