O aniversário da freguesia de Quinta do Anjo ficou também marcado pela abertura do novo espaço de jogo e recreio/parque infantil (Circuito de Manutenção/Sobral)

O presidente da Junta de Freguesia de Quinta do Anjo, Valentim Pinto, alertou para os problemas da freguesia e deixou alguns recados ao Governo, durante o 88.º aniversário da elevação de Quinta do Anjo a freguesia, comemorado no sábado na Sociedade de Instrução Musical. Os problemas nas áreas da mobilidade, saúde, segurança e protecção social foram enumerados por Valentim Pinto, que alertou para as dificuldades de uma junta que vive com o orçamento mais baixo do concelho.

“A mobilidade continua a ser uma necessidade ainda adiada. Dispomos de uma estação ferroviária para a qual não existe ligação rodoviária de transportes públicos”, alertou Valentim Pinto, lamentando que a criação de um circuito experimental pela Transportes Sul do Tejo (TST) não tenha resultado, já que “a empresa, evocando fraco retorno financeiro, continua a não querer implementar carreiras regulares”.

Na área da saúde, sublinhou, a freguesia “continua a ter um défice de profissionais de saúde, situação que assume particular agravamento nos últimos quatro anos”. O mesmo défice é apontado pelo presidente em matéria de segurança pública, visto que “o destacamento da GNR não foi dotado dos recursos humanos e logísticos necessários e expectáveis, perante o esforço financeiro do próprio município”. “Também na área da protecção social, os mais carenciados, e particularmente os mais idosos da freguesia, têm uma resposta insuficiente às necessidades existentes no território”, constatou.

Num território com cerca de 50 quilómetros quadrados e 12 mil habitantes, referiu, a junta de freguesia tem “um orçamento que não chega ao meio milhão de euros”, 12 trabalhadores nos quadros e mais cinco que estão em regime de mobilidade, pagos pela câmara no âmbito dos contratos e acordos para delegação de competências. “Conseguimos mesmo assim dar uma resposta qualificada”, com um “esforço gigantesco”, realçou. Valentim Pinto referiu que Quinta do Anjo é “a junta de freguesia do concelho com menor orçamento e uma das juntas com menor orçamento na região de Setúbal” e explicou que “isto decorre do quadro legal, do Fundo de Financiamento de Freguesias”, já que “esta freguesia é considerada medianamente urbana e esse é um factor de discriminação negativa e de penalização”. “Não é um quadro catastrófico, mas é complexo, delicado”, reconheceu.

Projectos no terreno

Álvaro Amaro, presidente da Câmara Municipal de Palmela, aproveitou a sessão solene comemorativa para dar nota dos principais projectos que o município tem em curso na freguesia. É o caso de dois projectos que serão concretizados com o apoio de fundos comunitários: o Praarrábida, “que já tem dotação financeira garantida e cujas operações terão impacto também na freguesia”, e a Plataforma Humanizada de Conexão Territorial, que incluirá a “necessária” rotunda na Penalva, à entrada de Vila Amélia, o melhoramento do troço rodoviário urbano da Estrada dos Quatro Castelos, a beneficiação da rotunda existente nessa estrada e o reperfilamento e enquadramento paisagístico desta via, explicou.

Ainda no âmbito da rede viária, estão concluídas a obra da Estrada da Setcom, a repavimentação da Estrada dos Cabeços Ruivos ou a pavimentação das Ruas 25 de Abril e Fernando Pessoa e está em concurso uma nova pavimentação em Vila Amélia. Também Álvaro Amaro lamentou a atitude da TST em relação ao circuito experimental de ligação à Estação da Penalva, defendendo que este tipo de experiências “tem que perdurar, para que as pessoas alterem as suas rotinas”.

Álvaro Amaro informou que este será o ano de arranque da última fase da infra-estruturação da zona consolidada do Bairro Alentejano, com a pavimentação da Rua Zeca Afonso e da Travessa do Limoeiro e uma intervenção de remodelação da rede de abastecimento de água nesta zona.

O presidente destacou também outros projectos, como a conclusão das obras do Espaço de Jogo e Recreio do Sobral de Quinta do Anjo, a ciclovia que ligará parte do antigo Bairro da Cooperativa e dos Portais às Colinas ou a horta comunitária, que estará a funcionar em Março. Em breve, anunciou, será também apresentado o projecto de refuncionalização do Mercado de Quinta do Anjo, depois de terem já ficado concluídas as obras de beneficiação do Mercado de Cabanas.

Na área da educação, acrescentou ainda, o município está a trabalhar num projecto de requalificação da Escola Básica de Cabanas e já a pensar na ampliação na EB1 JI António Matos Fortuna, “projectos que conhecerão desenvolvimentos no final do mandato”.

A par da sessão solene, as comemorações do aniversário incluíram também a abertura do novo espaço de jogo e recreio/parque infantil (Circuito de Manutenção/Sobral).