Maior fatia de investimento deste ano são os 12 milhões em dragagens no terminal de contentores que adiantam já trabalhos da terceira fase. Acordo com a PSA, que abre a porta a investimento de quase 200 milhões desta empresa de Singapura, está “por dias”

O presidente da Administração dos Portos de Sines e do Algarve (APS) anunciou um investimento previsto, para este ano, de 21,5 milhões de euros nos três portos sob a sua gestão, sendo que 18,8 milhões serão investidos no Alentejo.

Porto de Sines_terceira fase expansão do terminal XXI

A maior fatia do investimento será canalizada para a regularização de fundos na bacia do terminal de contentores do Porto de Sines, uma obra a rondar os 12 milhões de euros que irá permitir aumentar a área que tem atualmente 17,5 metros de profundidade, sendo que a intervenção visa já a possível futura expansão da infraestrutura para sul, detalhou o presidente da APS, João Franco, durante um encontro, na segunda-feira, com jornalistas em Sines.

Além desta obra, que se prende com a necessidade de melhorar as condições de navegação no Terminal XXI, a APS prevê gastar perto de sete milhões de euros em intervenções em diversas infraestruturas do Porto de Sines.

O plano de investimentos, que ainda carece de aprovação dos acionistas, prevê ainda, para sines, a concretização, em 2015, de projectos diversos, como recuperação paisagística, intervenções nos portos de recreio e de serviços, investimento em energias renováveis ou construção de um edifício para o pessoal aduaneiro.

Nos dois portos algarvios, em Faro e Portimão, serão investidos 2,7 milhões de euros em obras de melhoria que deverão estar concluídas até ao final de junho.

No encontro com os jornalistas, que serviu para analisar e perspetivar a atividade da empresa, João Franco avançou também que, em 2015, o Porto de Sines deverá movimentar 40 milhões de toneladas de mercadorias.

No ano passado, o porto alentejano movimentou 37,6 milhões de toneladas de mercadorias, mais 3% do que em 2013, um crescimento que o administrador da APS considerou “muito interessante”, mas que foi condicionado por dois meses de trabalhos de manutenção programada no terminal de granéis líquidos, concessionado à CLT (grupo Galp Energia).

O terminal de contentores, que tem registado o maior crescimento nos últimos anos, deverá atingir 1,5 milhões de TEU (unidade equivalente a um contentor de 20 pés) movimentados até ao final do ano, quando em 2014 se cifrou em cerca de 1,2 milhões de TEU, um crescimento de 32% face a 2013.

O crescimento em 2015, considerado “ambicioso” por João Franco, será permitido pela recente entrada em exploração, em dezembro de 2014, da segunda fase de expansão do Terminal XXI, gerido pela PSA Sines, uma vez que a infraestrutura estava a funcionar no limite.

O cais tem agora 940 metros de comprimento, nove guindastes e 35 hectares de zona de parqueamento de contentores, o que lhe confere uma capacidade de movimentação de 1,7 milhões de TEU por ano.

Concessão de contentores a PSA alargada em 12 anos

O acordo entre o Governo e a PSA, para alargamento do prazo de concessão do terminal de contentores do porto de Sines e investimento na expansão do Terminal XXI, “está por dias”, revelou o presidente da Administração do Porto de Sines e do Algarve (APS).

As “boas notícias para o país”, como as classificou João Franco num encontro com jornalistas, aguardam decisão do Ministério das Finanças sobre a última proposta produzida pela comissão negocial que assenta em dois aspectos principais; o prazo de contrato de concessão à PSA do negócio dos contentores em Sines é alargado em 12 anos e a empresa estatal de Singapura suporta os custos de investimento da terceira fase de expansão do Terminal XXI, estimados em cerca de 200 milhões de euros.

Uma “solução equilibrada”, considera o presidente da APS, que, a ser confirmada pelo Governo, concluirá um processo negocial que durou quase três anos. A primeira proposta negocial da PSA foi entregue em Agosto de 2012 e, após dois anos sem acordo entre as partes, foi assinado em Maio do ano passado um memorando de entendimento para a criação de uma comissão negocial.

A proposta final de acordo, depois de obter luz verde do Governo, terá ainda de ser submetida ao Tribunal de Contas, cujo visto é vinculativo.

Praia vasco da Gama passa para Câmara de Sines

A APS e a Câmara Municipal de Sines estão a preparar um protocolo de passagem da gestão de várias zonas ribeirinhas, que actualmente estão sob alçada portuária, parao municipio. O acordo, que segundo o presidente da APS será assinado “até ao Verão” inclui a gestão da Praia Vasco da Gama.

“O que não é actividade portuária não deve ser da nossa competencia”, disse João Franco que não especificou quais são as outras zonas que passam para gestão camarária.