Exercício que simulou ocorrência de 11 vítimas mortais, 12 feridos graves e 130 desalojados teve balanço positivo

Os antigos estaleiros da Lisnave, em Cacilhas, serviram de palco a um teste do Plano de Emergência de Protecção Civil (PMEPC) de Almada, que se encontra em fase de aprovação. A realização de um simulacro, no último sábado, contou com a participação de cerca de 300 pessoas e permitiu testar a capacidade de resposta em situação de emergência.

O exercício consistiu na simulação de uma explosão de gás na Rua Eugénio de Castro, em Cacilhas, com ocorrência de 11 vítimas mortais, 12 feridos graves e nove ligeiros, dois desaparecidos, 130 desalojados e danos em três edifícios e 12 viaturas. “O balanço foi considerado positivo pelas várias entidades participantes, unânimes em salientar a ‘cultura de segurança’ preconizada pelas instituições do concelho. Foi salientado ainda o cumprimento dos objectivos propostos, ressalvando sempre a importância destes exercícios no âmbito da preparação de meios materiais e humanos em caso real de acidente”, revelou a Câmara Municipal de Almada.

Participaram no simulacro representantes das seguintes entidades: Câmara Municipal de Almada, Comissão Municipal de Protecção Civil (CMPC) de Almada, Serviço Municipal de Protecção de Almada, Meios dos Agentes de Protecção Civil que integram a CMPC de Almada, Autoridade Nacional de Protecção Civil, Serviços Municipalizados de Água e Saneamento, União de Freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas, Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal (CDOS), Força Especial de Bombeiros, Hospital Garcia de Orta, Autoridade de Saúde, Segurança Social, Corpos de Bombeiros dos municípios de Almada e Seixal, GNR, PSP, Autoridade Marítima, GALP, EDP, MTS, ECALMA, Escola Básica Integrada Carlos Gargaté, Colégio Campo de Flores, bem como outras entidades do distrito de Setúbal e Lisboa.