Município troca terreno das antigas bombas de gasolina por um armazém na zona dos bares, onde vai construir um Centro Municipal para a Promoção e desenvolvimento das Artes. Empresa que vai investir num restaurante de rua e novo posto de combustível, fica obrigada a fazer um jardim na zona envolvente

A Câmara Municipal de Setúbal aprovou na última reunião pública ordinária, uma permuta de imóveis que viabiliza a criação do futuro Centro Municipal para a Promoção e o Desenvolvimento das Artes, na zona dos bares, e também a construção de um restaurante da Burger King no Monte Belo.

O município entrega uma parcela de terreno com cinco mil metros quadrados na Praça da Independência, na zona do Monte Belo Norte, onde está ainda a estrutura da bomba de gasolina desactivada desde 2013, e recebe em troca um armazém, um antigo espaço industrial, actualmente propriedade da empresa PCI – Promoções, Construções e Investimentos, localizado na Rua Guilherme Gomes Fernandes, na zona ribeirinha da cidade e com área de implantação de 1000,60 metros quadrados.

Com este acordo, concretiza-se a construção, em Setúbal, de um restaurante da cadeia mundial de hambúrgueres Burger Kink, como o DIÁRIO DA REGIÃO noticiou, em primeira-mão, em Setembro de 2014. O investimento no Monte Belo prevê o restaurante de rua, com drive-in, e um posto de combustível.

No imóvel que recebe, a autarquia pretende materializar o projeto de instalação do Centro Municipal para a Promoção e o Desenvolvimento das Artes, equipamento cultural pensado com o objetivo de servir como polo de criação artística.

A proposta aprovada afirma que o futuro centro, “à semelhança de outras iniciativa já desenvolvidas, poderá ser uma âncora na reabilitação urbana na zona ribeirinha da cidade, a qual se traduzirá não só na reabilitação de edifícios, mas terá como resultado atrair mais população ao centro histórico e promover a criação artística com a presença de artistas conceituados no concelho, sendo de interesse público a aquisição do mesmo”.

A Comissão Municipal de Avaliação de Imóveis determinou que a parcela a ceder à PCI representa o valor de 682 mil e 100 euros, enquanto o imóvel da empresa ascende aos 602 mil e 400 euros.

O acordo de permuta prevê que a diferença entre os valores dos bens, cerca de 80 mil euros, será paga pela empresa PCI através da “execução de obras no espaço público municipal limítrofe à Praça da Independência, designadamente a execução de um jardim devidamente equipado e a construção de um troço do passeio e da ciclovia na Avenida Álvaro Cunhal”, no acesso entre a unidade hoteleira que ali se encontra e o terreno objeto de permuta.