Comunistas dizem que está nas mãos do milhar de trabalhadores municipais a construção de uma alternativa política

O PCP levou a efeito, durante esta semana, uma acção de contacto directo com os funcionários do município do Montijo. Os comunistas distribuíram um comunicado, intitulado “O caos, a desmotivação e o grande potencial dos trabalhadores da autarquia do Montijo”, no qual arrasam a gestão camarária do PS.

“Está simplesmente caótica toda máquina municipal que conta com um milhar de cidadãos, dedicados ao serviço público, sem direcção autárquica, sem organização administrativa, sem respeito pelas relações hierárquicas e com violação destas, sem projecto, planos, programas, priorização, calendarização, constituição de equipas, multidisciplinaridade, e à míngua de quadros, de instalações dignas, de formação permanente, de motivação e, sobretudo de confiança”, pode ler-se no documento que foi distribuído aos funcionários.

“A gestão autárquica na Câmara Municipal de Montijo bateu no fundo! A Câmara foi tornada numa central de compras que trata da gestão das prestações de serviços das empresas exteriores que tudo fazem dentro ou fora da área operativa: estudam, planeiam, varrem, recolhem o lixo, cortam relva, podam, fazem deservagem química, lavam contentores, compõem calçada, pavimentam, bem como da equipa de Informação e Relações públicas que, e é compreensível, é a única a que não chega o tédio e o desespero porque trabalha na imagem da pose do novo PEC, o “Projeto Eleitoral em Curso”, consideram os comunistas.

O PCP apela ainda ao voto no mesmo comunicado. “Está, também, nas mãos do milhar de trabalhadores municipais a construção de uma alternativa política que faça da gestão participada, da responsabilidade, da ética política, do trabalho, da sua valorização e estímulo, da honestidade, da competência e da satisfação dos legítimos interesses da população a missão de quem exerce o serviço público em Montijo”, remata o PCP.