O Ministro da Saúde, Paulo Macedo, visitou na terça-feira a Associação Raríssimas, tendo-se feito acompanhar pelo Presidente do Conselho Directivo da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Luís Cunha Ribeiro.

Esta visita surge na sequência da abertura de mais nove camas de Média Duração e Reabilitação. Assim, a Casa dos Marcos, unidade da Associação Raríssimas, passa a dispor de 39 camas na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, sendo 10 camas de Convalescença, 10 de Longa Duração e Manutenção e 19 camas de Média Duração e Reabilitação.

A Casa dos Marcos foi o primeiro Centro de Recursos em Doenças Raras em território nacional, pensada para oferecer uma resposta necessária aos doentes portadores de patologia rara.

Para Luís Cunha Ribeiro, presidente da ARSLVT, “estes cuidados permitem, entre outros aspectos, a reabilitação, estabilização clínica e promoção da autonomia e independência dos utentes com patologia rara”.

No âmbito desta visita, foi assinado um protocolo entre os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde e a Associação Raríssimas, que irá permitir a partilha de informação dos cuidados prestados aos utentes tratados no âmbito do SNS.

“A ARSLVT dá assim continuidade ao compromisso de melhorar a resposta assistencial aos seus 3,6 milhões de utentes. A missão da Instituição passa por garantir, à população da Região Lisboa e Vale do Tejo, o acesso à prestação de cuidados de saúde de qualidade, adequando os recursos disponíveis às necessidades em saúde”, refere em comunicado.