Construção da Rotunda de Vila Amélia, ligação intermodal de Pinhal Novo sul, ampliação da rede ciclável e requalificação do Salão Nobre dos Paços do Concelho, da Capela de S. João Baptista e do antigo edifício da GNR são algumas das acções previstas

O Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) de Palmela vai permitir ao município um financiamento comunitário de mais de sete milhões de euros, para investimentos a realizar concelho, ao abrigo do Portugal 2020, anunciou ontem a autarquia. Dos contratos rubricados pelos municípios do distrito, que até ao momento são conhecidos – Setúbal (6,8 milhões), Montijo (6 milhões), Alcácer do Sal (5,5 milhões) e Santiago do Cacém (5,1 milhões), Palmela é, para já, a autarquia que, assim, maior proveito tira.

Tal como os vários municípios do país, salvo raras excepções, a Câmara Municipal de Palmela, presidida por Álvaro Amaro, assinou no passado dia 31 de Maio com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT) os contratos relativos ao PEDU, que permitirão financiar, em 50 por cento, investimentos “num montante superior a sete milhões de euros” para as cinco freguesias do concelho. “Com a assinatura do compromisso financeiro, serão agora submetidas a candidatura duas dezenas de intervenções (operações) que integram três eixos de intervenção, em áreas de prioritárias de investimento – Mobilidade Urbana Sustentável, Regeneração Urbana e Comunidades Desfavorecidas – que abrangem as cinco freguesias do concelho”, revelou o município ao DIÁRIO DA REGIÃO, sublinhando que os investimentos contemplam “obras significativas que constituem compromissos deste mandato e outras, que decorrem da própria dinâmica do desenvolvimento do território”.

Intervenções

No domínio da Mobilidade Suave, serão particularmente expressivas as acções no âmbito da HUB10 – Plataforma Humanizada de Conexão Territorial, partilhadas por vários municípios e que, no que diz respeito a Palmela, “incluem a construção da Rotunda de Vila Amélia (nó de acesso à Penalva, A2 e Parque Industrial da Autoeuropa) e a requalificação da Estrada dos 4 Castelos, e a ligação intermodal de Pinhal Novo sul (parque de estacionamento, junto à estação de caminhos de ferro)”. Deste eixo de intervenção, adianta a autarquia, “constam ainda a ampliação da Rede Ciclável do concelho, com a construção de ciclovias em Aires, Quinta do Anjo e Pinhal Novo (extensão até ao Montijo), e a ligação do Largo da Mitra (adjacente à Rua Infante D. Henrique) à zona central de Pinhal Novo”.

No que toca à Regeneração Urbana, as intervenções abrangem “o Centro Histórico de Palmela, incluindo a pavimentação da Rua Serpa Pinto, as requalificações da Alameda 25 de Abril e Largo do Chafariz, do antigo edifício da Rádio Pal, do Salão Nobre dos Paços do Concelho, da Capela de S. João Baptista e do antigo edifício da GNR”.

O conjunto de investimentos para a criação do Centro Rural Vinum, em Fernando Pó, as requalificações do Monte do Francisquinho (Pinhal Novo), do polidesportivo de Poceirão, do Centro Comunitário de Águas de Moura e da Baixa Comercial de Águas de Moura e ligação à EN 5 “integram o plano de acção de apoio às Comunidades Desfavorecidas”.