Vereadores da CDU e PSD comunicaram impossibilidade de presença no próprio dia da reunião privada sobre regulamentos e não gostaram da resposta do presidente da autarquia

O período antes da ordem do dia da reunião desta quarta-feira ficou também marcado pela aprovação de um voto de protesto ao presidente da Câmara, Nuno Canta. O documento foi apresentado pelos vereadores da CDU, Carlos Jorge de Almeida e Ana Baliza, e passou com a anuência da bancada do PSD e três votos contra dos socialistas.

Em causa esteve o conteúdo da resposta de Nuno Canta à comunicação de impossibilidade de participação dos vereadores da CDU numa reunião de trabalho sobre os regulamentos autárquicos. A CDU comunicou a indisponibilidade no próprio dia da reunião e, através de um mail da Chefe de Gabinete de Nuno Canta, cujo teor do texto mereceu críticas e a apresentação do voto de protesto da CDU. “… o teor do texto de correio electrónico que nos foi remetido por determinação do presidente… diz: ‘Registamos com enorme surpresa o conteúdo do mail; … foi ainda consensualizado que estará presente na reunião de trabalho agendada para hoje [1 de Setembro], e cuja realização se mantém, o Dr. Gonçalo Ribeiro da Costa, prestador de serviços externo ao município; Não se nos afigura correcto e leal que, na própria tarde da realização da reunião, cuja data foi consensualizada há já uma semana…; registamos que também os vereadores do PSD optaram por nos remeter idêntica comunicação…”, cita a CDU no documento. A concluir, a CDU reforçou a justificação pela aprovação do voto de protesto ao presidente da autarquia com a “forma inaceitável” como o socialista se lhes dirigiu, acusando Nuno Canta de “absoluta ausência de sentido de Estado e de respeito institucional”.

Na resposta, o presidente da Câmara devolveu as críticas à oposição. “Não colocaram os interesses do município acima dos seus interesses partidários”, atirou o socialista, acusando a CDU de “falta de ética de responsabilidade”. O voto de protesto, acrescentou Nuno Canta, deveria ser dirigido “aos vereadores da oposição”, já que, sublinhou o socialista, os autarcas da CDU e do PSD “cancelaram a presença na própria tarde da reunião que envolvia a presença de uma terceira pessoa”, o consultor Gonçalo Ribeiro da Costa.