As obras de restauro no Convento de Jesus, em Setúbal, cuja primeira fase foi agora concluída, vão continuar, independentemente de o Estado conseguir ou não soluções de financiamento para os três milhões que faltam para pagar as obras, garantiu a presidente da câmara. “Não vamos parar! Seria bom que a segunda fase fosse já a totalidade [do restauro] e nós vamos fazer esse esforço, mas se não for, não vamos parar com as obras. Foi assim que isto chegou a esta degradação, por não haver dinheiro para tudo nem se fazia aos passos”, disse Maria das Dores Meira no sábado, após a abertura ao público do monumento, numa cerimónia que juntou centenas de pessoas e que contou com a presença do secretário de Estado da Cultura.

A autarca sadina, num discurso emocionado, elencou as obras em falta, recuperar as alas norte e leste, o coro alto, a torre sineira e a igreja de Jesus, e construir um edifício de apoio de mil metros quadrados, para desafiar o Governo a envolver-se no financiamento dos seis milhões de euros que são necessários para pagar o resto do restauro. “Estamos disponíveis para financiar metade desse valor, é necessário que o Governo crie as condições para financiar o resto”.

Barreto Xavier não se comprometeu com a garantia de que o Governo vai conseguir financiamento.  O secretário de Estado, tanto no seu discurso como depois em declarações ao DIÁRIO DA REGIÃO, prometeu apenas empenho e trabalho para tentar obter as verbas, através de financiamentos comunitários.

“É muito difícil, mas temos de encontrar soluções”, afirmou Barreto Xavier, mostrando-se “disponível para trabalhar com a autarquia”. Apesar de não haver promessas concretas, a presidente da câmara disse depois “confira” na ajuda do Governo. “Senti que o secretário de Estado está motivado e que vai transmitir a importância do restauro completo da obra”, referiu Dores Meira.

Em qualquer dos casos, a autarca afirma que “é fundamental não perdermos agora este comboio” pelo que o restauro “tem que ficar concluído” até final do Quadro Comunitário de Apoio que termina em 2020. Dores Meira revelou que o projeto de reabilitação do Convento de Jesus tem previsto, para futuro próximo um financiamento de quase 1,5 milhões, comparticipado a 50 por cento pelo QREN.

“Aguardamos, nos próximos dois ou três meses, o diferimento desse valor, superior a 700 mil euros, que está agora em negociação na Área Metropolitana de Lisboa com todos os municípios, depois é abrir concurso [público] e lançarmos a obra”, disse a autarca, acrescentando acreditar que “no próximo ano estamos a fazer mais uma parte importante desta obra”.

Além desta candidatura pontual, o município compromete-se a financiar outros cerca de três milhões de euros. Sobre este valor, Dores Meira especifica que “a câmara municipal vai já avançar com mais esse passo, já lançamos o concurso do Coro Alto, da Igreja de Jesus e duma parte dos claustros”. O Convento de Jesus, em Setúbal, monumento nacional e um dos primeiros exemplos de arquitetura manuelina, reabriu ao público, parcialmente recuperado, após 23 anos de encerramento.

A empreitada de requalificação do Convento de Jesus, que começou em dezembro de 2012, incluiu trabalhos de beneficiação geral do imóvel, mas beneficiou, sobretudo, a ala poente do edifício que foi recuperada para acolher e reabrir ao público o Museu de Setúbal. As obras na ala poente do antigo mosteiro passaram pelo reforço de todas as infraestruturas, substituição integral de pavimentos e revestimentos de paredes, remodelação do sistema elétrico e instalação de ar-condicionado.

A reabertura do monumento e do Museu de Setúbal foi abençoada pelo Bispo de Setúbal. Gilberto Canavarro dos Reis classificou o dia como “muito grande e muito quente, do tamanho deste feito e do calor desta obra”. O religioso expressou o desejo de que o local sirva para aprofundar a contemplação e a educação das pessoas, sobretudo as crianças e os jovens, no sentido de uma vida melhor.

O Largo de Jesus vai ser transformado num jardim público, revelou a presidente da câmara. “O largo vai ter um grande jardim, vamos levantar as pedras todas e estamos a preparar um novo parque de skate para os nossos jovens noutro lado [na Várzea]”, disse Dores Meira. A reformulação da envolvente ao Convento de Jesus prevê o levantamento de todo o piso e enquadramento em pedra e a criação de um espaço verde no mesmo local. O nível do piso deve, no entanto, manter-se rebaixado uma vez que tecnicamente não é aconselhável que ultrapasse a altura do piso de entrada do monumento.