Em reunião pública realizada na passada quarta-feira, Paulo Lopes, vereador do Partido Socialista, questionou o executivo CDU sobre o decorrer das obras no histórico edifício Casa das Quatro Cabeças. Afirmando que as obras estão “aparentemente paradas”, o autarca socialista, quis obter uma confirmação e perguntou mesmo se a situação irá provocar o atraso na abertura do imóvel.

Em resposta, o vereador da CDU, Carlos Rabaçal disse apenas que a obra está a andar “devagarinho”. Já, a presidente da Câmara Municipal, Maria das Dores Meira, esclareceu a situação, sublinhou que está tudo a decorrer dentro da normalidade e garantiu que a obra até irá terminar antes do prazo previsto pela autarquia. “Estamos a fazer os acabamentos e está tudo a decorrer dentro do que era previsto. Estamos a falar de uma obra de reabilitação de um edifício, que é um ícone da cidade, e que foi abandonado devido à degradação e à incapacidade por parte dos proprietários em proceder à sua reabilitação. Surgem sempre dificuldades no decorrer das obras. Esta é uma intervenção difícil no meio do centro histórico, com ruas muito estreitas”.

Maria das Doires Meira frisou ainda que no terreno está uma das melhores empresas na área da reabilitação de edifícios históricos, que já garantiu que a obra irá estar concluída até ao final do ano. “A obra está muito avançada. Já estão lá menos trabalhadores. Nós prevíamos inaugurar o imóvel no 25 de abril, mas a empresa responsável dá-nos a obra pronta alguns meses antes”.

Autarquia garante remodelação do palco do Jardim do Bonfim.

Antigo edifício da Escola de Hotelaria e Turismo transformado em bar-esplanada outros dos assuntos abordados em reunião de Câmara pelo Partido Socialista prendeu-se com o estado atual do palco instalado no Jardim do Bonfim. Paulo Lopes, vereador do PS, perguntou ao executivo CDU se há algum projeto definido para aquela área, já que o palco, “sujo”, apresenta uma “má imagem”.

Ainda sobre o Parque do Bomfim, o autarca socialista quis saber qual é a utilização prevista para o edifício ali localizado que albergou, durante vários anos, a escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal.

Maria das Dores Meira afirmou que já existe um projeto para reformular o palco e toda a área envolvente. “Estamos a trabalhar nesse sentido”.

Quanto ao edifício que acolheu a escola de hotelaria e turismo, a presidente da Câmara esclareceu que “irá ser aberto um concurso para restauração e que o caderno de encargos está a ser preparado”.