De todos os estilistas que estiveram na primeira edição do certame, em 1991, só Nuno Gama volta a apresentar colecção este ano. Amanhã, sexta-feira, desvenda as suas propostas para o inverno de 2016/17 no Centro Cultural de Belém.

Nuno Gama, o estilista de Azeitão, concelho de Setúbal, é o único ‘resistente’ dos estilistas fundadores da Modalisboa. Na primeira edição da ModaLisboa, que decorreu em Abril de 1991 no Teatro São Luiz, 13 criadores apresentaram colecções para o inverno de 1991/92. Vinte e cinco anos depois, apenas três continuam ligados ao evento e Nuno Gama é o único que apresenta colecção.

A Lusa foi à procura dos 13 criadores e encontrou 12. Destes, três permaneceram envolvidos no certame: Eduarda Abbondanza é agora a presidente da Associação ModaLisboa, Nuno Gama continua a apresentar colecções na iniciativa e Nuno Eusébio passou para a produção.

Em relação à primeira edição, Eduarda Abbondanza recorda que havia uma estrutura organizativa que “não era comum em Portugal”, já que a equipa estudou o que eram as apresentações nas grandes capitais e tinha “muita consciência” da dinâmica em causa.

Em 1991, a agora presidente da iniciativa apresentava colecções em dupla com Mário Matos Ribeiro, com quem fundou a ModaLisboa. Mário Ribeiro é hoje em dia professor de Design de Moda e foi recentemente nomeado Coordenador da Licenciatura com o mesmo nome, na Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa.

Mesmo que já não apresentem colecções na ModaLisboa, os 12 designers de moda estão todos ligados ao sector.

Nuno Eusébio, cuja empresa está envolvida em vários certames, está agora “a fazer o outro lado, a produção pesada (som, luz, passarela)”.

“Ainda apresentei colecções em nome próprio em três edições da ModaLisboa e depois passei para a produção, porque gostava mais desta área e a minha família tinha ligações ao espectáculo”, contou à Lusa.

Luís Barbeiro, Lena Aires, José António Tenente, Manuel Alves e José Manuel Gonçalves, Ana Salazar, Luís Buchinho e Júlio Torcato continuam todos a criar peças de roupa.

Júlio Torcato, Luís Buchinho e a dupla Alves/Gonçalves trocaram a ModaLisboa pelo Portugal Fashion, evento sediado no Porto e onde, de seis em seis meses, apresentam colecções.

Lena Aires, que começou a criar vestuário no final dos anos 1980, ainda apresentou colecções na ModaLisboa “durante 12 anos”, mas a dada altura decidiu deixar de fazê-lo. No entanto, continua a criar peças que vende na sua loja no Bairro Alto.

Já José António Tenente, que apresentou uma colecção pela primeira vez em 1986, está agora dedicado “quase em exclusivo à criação de figurinos para dança, ópera e teatro”. Além disso, mantém “o trabalho de atendimento personalizado no ateliê”.

O criador apresentou pela última vez uma colecção na ModaLisboa em 2010: “Na altura estava já com vontade de abrandar o ritmo da criação de colecções e apostar em acções mais personalizadas, nem sempre no formato de desfile, com outros ‘timings’, e daí que não fizesse muito sentido continuar a integrar aquele calendário”, contou.

Ana Salazar, uma das pioneiras da moda em Portugal, foi presença assídua no certame até 2012. Nesse ano, a designer deixou a empresa que tinha criado com o seu nome 30 anos antes e que entretanto vendeu na totalidade, na qual era apenas directora criativa desde 2009.

No final do ano passado, voltou a apresentar em desfile peças de sua autoria, uma colecção-cápsula de edição limitada, agora sob o nome Ana by Herself, marca que criou em 2010.

Nuno Gama é o único que continua a apresentar colecções na ModaLisboa. Na sexta-feira desvenda as suas propostas para o inverno de 2016/17 no Centro Cultural de Belém.

A Lusa não conseguiu encontrar Manuela Gonçalves.

A primeira edição da ModaLisboa data de 1991, embora haja registo de uma edição zero, em 1990, integrada das Festas da Cidade. Durante 25 anos, o evento percorreu os mais variados espaços da capital e chegou a realizar-se em Cascais e, no mesmo concelho, no Estoril.