O novo quartel dos Bombeiros Mistos de Alcácer do Sal (BMAS) foi inaugurado, ontem, numa cerimónia que contou com a presença da ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, e que juntou mais de duas centenas de pessoas, incluindo muitos populares. A inauguração das novas instalações, na zona nova da cidade, foi considerada pelo presidente da câmara de Alcácer do Sal uma “nova primavera” para a associação humanitária que já leva mais de cem anos de existência, e a ministra afirmou tratar-se de “um dia histórico para a corporação e todos os alcacerenses”.

Novo quartel dos bombeiros_Alcácer do Sal_1

Vítor Proença recordou que a obra foi concretizada 20 anos depois dos primeiros passos do projeto e especificou alguns pormenores do atraso. Uma dessas “perdas de tempo e de financiamento” foi, segundo disse, a emissão de parecer favorável por parte da câmara de Alcácer, então dirigida pelo Partido Socialista (PS), que só teve lugar em 2009, “três anos depois” de o projeto ter sido aprovado. O autarca comunista deixou a ideia que a conclusão das obras do quartel só foi possível com a “aposta forte” do executivo CDU que, desde 2014, apoiou financeiramente o esforço dos BMAS com um total de 290 mil euros.

Vítor Proença referiu ainda que os Bombeiros Voluntários do Torrão também precisam de melhores instalações e lançou o desafio à Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) para, em conjunto com o município, pensar no aproveitamento do antigo quartel dos bombeiros de Alcácer para outras valências de proteção civil, como base logística ou posicionamento de bombeiros canarinhos.

O presidente da Assembleia-Geral da AMBAS, António Espada, disse tratar-se de um “dia transcendental”, o comandante da corporação, Valdemar Gonçalves, agradeceu o “excelente apoio” do município, e o presidente da associação humanitária, António Balona, que preside também à Assembleia Municipal, considerou as novas instalações um “sonho” transformado numa “maravilhosa realidade”. António Balona aproveitou a presença da ministra para sensibilizar o Governo para as dificuldades financeiras da corporação e a sua “preocupação” acabou por ter uma resposta, mas por parte do presidente da Liga de Bombeiros.

Marta Soares revelou que a nova lei de financiamento das associações humanitárias de bombeiros está em fase de agendamento, para ser discutida e votada na Assembleia da República e que representa um aumento de verbas de 12 por cento relativamente ao atual plano. O DIÁRIO DA REGIÃO apurou que o projeto-lei em causa baliza as transferências do estado entre um mínimo de três por cento e um máximo de 25 por cento relativamente ao financiamento deste ano.

Essa variação pode ser significativa porque, disse o presidente da Liga de Bombeiros, os critérios legais são alterados no diploma que está em preparação. O quartel da ABMAS, que representa um investimento superior a um milhão, foi comparticipado em cerca de 500 mil euros por fundos comunitários e teve apoios financeiros da Câmara Municipal de Alcácer do Sal num total superior a 450 mil euros. A ABMAS tem mais de 25 funcionários e conta com um corpo ativo de cerca de 50 bombeiros.